A cada 14 horas, uma mulher sofre abuso na região de Ribeirão Preto (Revide – 02/06/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Em Ribeirão Preto, uma mulher é vítima de abuso sexual a cada quatro dias

De acordo com a Secretária de Segurança Pública do Estado de São Paulo, na região, 256 mulheres sofreram estupros de 1 de janeiro a 30 de abril de 2016. Em Ribeirão Preto, uma mulher é vítima de abuso sexual a cada quatro dias.

Depois da última semana, o caso de estupro coletivo no Rio de Janeiro trouxe à tona, por mais uma vez, a segurança das mulheres no País. Só no estado de São Paulo, os números mostram que de 2009 a 2015 uma pessoa foi estuprada a cada hora. Foram 70.162 casos do gênero registrados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública no período.

Segundo a lei, os crimes de atentado violento ao pudor foram fundidos ao estupro. Além disso, ações como até um beijo roubado em uma festa podem ser consideradas como crime sexual. Outra modificação foi considerar os abusos sexuais contra homens como estupro, o que não era feito antes da lei.

Antes de a nova lei entrar em vigor no Brasil, só eram considerados estupros casos com contato carnal. Após a legislação atualizada, qualquer ato libidinoso passou a ser considerado como abuso sexual.

Nos primeiros quatro meses de 2016 o número é superior comparado aos dois últimos anos. Enquanto neste ano, até o último dia de abril foram registrados 27 casos de abuso à mulher, em 2015 e 2014 houve queixa de 24 e 20 respectivamente.

Mulher ribeirãopretana

A responsável pela Coordenadoria da Mulher de Ribeirão Preto, Jussara Teixeira Marcelino, tem trabalhado para ampliar a rede de atenção aos direitos, à proteção e à saúde da mulher desde 1985.

Jussara conta que um dia, enquanto seu ex-marido a arrancava da cama e a arrastava pelo quarto, puxando seus cabelos, viu seu filho de 11 anos assistindo à cena. “Naquele dia, percebi que se não acabasse com aquela situação, criaria um círculo vicioso, perpetuaria a violência”, explica.

Ela conta ainda que as pessoas têm a falsa ideia de que somente mulheres pobres e ignorantes são vítimas da violência doméstica. “Isso é uma grande mentira: não éramos ignorantes, nem miseráveis, no entanto, durante anos vivi um cotidiano de medo. A mulher tem que romper esse silêncio, livrar-se da vergonha e da culpa; ela precisa se conscientizar de que é uma vítima”, afirma.

Estado

Cerca de 70% dos estupros tem autoria identificada pela vítima no momento do registro dos boletins de ocorrência. Para o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, apenas 30% dos casos são cometidos por pessoas desconhecidas.

De acordo com o Perfil do Homicídio nacional, uma a cada 100 mortes intencionais tem vestígios de violência sexual. Além disso, seis a cada 100 homicídios são resultado de conflitos entre casais. Quatro dessas vítimas são mulheres.

As denúncias em Ribeirão Preto podem ser feitas pelo telefone 180 ou (16) 3610-4499. As queixas também podem ser feitas pessoalmente na Rua Piracicaba, 207.

Acesse no site de origem: A cada 14 horas, uma mulher sofre abuso na região (Revide – 02/06/2016)