Agressor vai ser atendido no ABC, para que deixe de bater na mulher (Bom dia – 17/03/2014)

Além de dar amparo às mulheres vítimas de agressão, Santo André retoma projeto de dez anos atrás e acolhe o homem

Além de atender as vítimas de violência, a Secretaria de Políticas para as Mulheres de Santo André retoma, ainda neste semestre, o atendimento ao agressor, que foi extinto em 2004, na gestão administrada pelo PT (Partido dos Trabalhadores).

Para a secretária Silmara Colchão, a retomada do serviço é necessária, pois é preciso cuidar do outro lado da violência. “Temos que realizar um trabalho de reflexão sócio educativo e assim tentar reeducar esses agressores, revendo os valores impostos ao homem pelo estado e sociedade”, afirma a secretária. Para ela, uma boa educação é o foco para a transformação. “Os índices mostram que os países com boa educação ocupam as últimas posições nos índices de violência o que evidência que a educação é um dos caminhos para a questão da violência de gênero”.

A novidade da volta do serviço é o apoio do judiciário, que irá encaminhar o agressor à secretaria. “Ao invés de cumprir pena o agressor terá a oportunidade de participar dos grupos e, desta forma, rever todos os seus conceitos”, diz Cochão.

Pacotão

A ação faz parte do Pacote de Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha, assinada por Santo André em abril do ano passado. A Cidade foi a primeira do estado a aderir à campanha.

A campanha de âmbito nacional e resultado da cooperação entre Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e Governo Federal, por meio da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República e o Ministério da Justiça. O objetivo é unir forças e adotar medidas para dar celeridade aos julgamentos dos casos de violência contra a mulher e garantir a correta aplicação da Lei Maria da Penha.

Plantão da Delegacia da Mulher será descentralizado

O Centro de Referência da Mulher de Santo André Vem Maria é que realiza acolhimento de mulheres em situação de violência de gênero e risco de morte. O centro também oferecerá plantão na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) que será descentralizado, ou seja, funcionará em outros bairros para agilizar os serviços, como na Vila de Paranapiacaba e Vila Luzita. O Vem Maria, programa vinculado à Secretaria de Políticas para Mulheres, atua há quinze anos no município, por meio do acompanhamento social, psicológico e orientação jurídica. Atualmente, o atendimento é feito na rua João Fernandes, 118, no bairro Jardim, das 8h às 19h, de segunda a sexta-feira. O telefone é 4992-2936. No último ano, o centro registrou, 892 casos, dos quais 157 novos. Em média, foram cerca de 100 registros por mês; estimativa que continua valendo em 2014.

MAIS
Dados alarmantes
O Brasil, de acordo com a Secretária Nacional de Políticas Para as Mulheres apresenta um dos piores índices da violência. De 2009 a 2012, os estupros notificados cresceram 157%, segundo o anuário brasileiro de Segurança pública foram 50.600 estupros em 2012. O Ministério da Saúde informou que a cada 15 minutos uma mulher é espancada no Brasil e que 27% das mulheres que deram a luz na rede pública reportaram alguma forma de violência


é o lugar que ocupa o Brasil entre os países que possuem o maior número de mulheres mortas, num universo de 84 países (Mapa da Violência, 2012). Na frente do Brasil estão apenas El Salvador, Trinidad y Tobago, Guatemala, Rússia, Colômbia e Belize.

Loli Puertas

Acesse no site de origem: Agressor vai ser atendido no ABC, para que deixe de bater na mulher (Bom dia – 17/03/2014)