Aplicativo pernambucano une mulheres contra a violência doméstica (Diário de Pernambuco – 21/03/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A plataforma surgiu após relatos de agressão denunciados em um grupo no Facebook

A violência doméstica nem sempre é encarada de maneira solidária entre amigos e familiares. Por esse motivo, a sororidade, palavra que define o acolhimento em um pacto de proteção entre as mulheres, pode ser uma das soluções para vítimas. Agir de forma articulada pode evitar sofrimento daquelas que vivem em situação de risco dentro do próprio lar. Foi com esse objetivo que um grupo de mulheres criou o aplicativo “Mete a colher”, uma rede colaborativa em que vítimas podem compartilhar suas experiências.

O aplicativo foi desenvolvido durante a Startup Weekend Women.Foto: Flora Lins/Divulgação.

O aplicativo foi desenvolvido durante a Startup Weekend Women. Foto: Flora Lins/Divulgação.

O projeto surgiu durante o evento de empreendedorismo feminino, Startup Weekend Women. Pela primeira vez participando do encontro, um grupo de nove mulheres se reuniram para criar a plataforma. “Faço parte de um grupo sobre relacionamentos abusivos e um membro do grupo que sofria pediu ajuda através de um áudio feito durante enquanto a agressão ocorria. O grupo se mobilizou de saber quem morava mais perto, para chamar a polícia e ir resgatá-la. Então imaginei que se houvesse um app que juntasse a parte da denúncia e o grupo de apoio, facilitaria tanto denúncias, como a mulher se sentir segura e emponderada para sair da situação”, conta a analista de informações, Emily Blyza, de 24 anos.

A equipe da plataforma conta ainda com designers, jornalistas, desenvolvedoras, analistas de marketing e psicóloga. Por enquanto o app ainda está na versão beta, para testes e receber retorno das usuárias quanto ao uso. “A maioria das mulheres que denunciam estão sós. A rede funciona para que se ela precisar, tenha apoio jurídico, psicológico, entre outros”, explica Blyza. A intenção é conectar principalmente quem está mais próxima da rede, através da geolocalização, para que a mulher se sinta segura.

“Essa questão de “meter a colher” é porque muitas mulheres têm medo, vergonha, ficam fragilizadas em denunciar ou falar que sofre algum tipo de violência doméstica. O app quer solucionar isso, criar uma rede de mulheres que precisam de ajuda e mulheres que estão dispostas a ajudar, explica a pesquisadora de comportamento do consumo, Renata Albertim, 28.

Como usar | Download
Após baixar o aplicativo “Mete a Colher”, é necessário fazer uma cadastro, mas a usuária pode decidir se vai utilizar de modo anônimo. Entre as opções estão “Preciso de ajuda” e “Quero ajudar”. Ao escolher uma das opções o app cruza os dados. A vítima pode escolher o tipo de ajuda que precisar e o app indica quem pode fornecer essa ajuda e aquela que está mais próxima para auxiliar. “Se for um caso de agressão em tempo real, quem está perto receberá uma alerta e poderá pedir ajuda da polícia”, comenta Emily Blyza. Ainda existe um grupo fechado para as mulheres que conversem de forma privada e troquem experiências.

Mariana Fabrício

Acesse no site de origem: Aplicativo pernambucano une mulheres contra a violência doméstica (Diário de Pernambuco – 21/03/2016)