Após estupro, polícia cria atendimento especial para vítimas de violência (G1/Rio de Janeiro – 07/06/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Haverá uma sala reservada e atendimento preferencial por policiais mulheres. Outro homem estava em vídeo de estupro coletivo da jovem de 16 anos

A Polícia Civil do Rio anunciou nesta terça-feira (7) um novo serviço para atendimento às mulheres vítimas de violência em todas as delegacias do estado. Foi criado um protocolo de atendimento para esses casos. Elas serão levadas para uma sala reservada e serão atendidas preferencialmente por policiais mulheres, disse ao RJTV Márcia Noeli, diretora da Divisão de Polícia de Atendimento a Mulher. Ela informou ainda que o atendimento também poderá ser feito por policiais homens já que eles são treinados para esse tipo de crime.

Clique para assistir à reportagem

Também nesta terça, a polícia divulgou os primeiros resultados da perícia em um dos vídeos , do estupro coletivo da adolescente de 16 anos, no Morro da Barão, em Jacarepaguá. A análise mostrou que, no momento da filmagem, havia quatro homens no quarto e não três como se pensou anteriormente. Este quarto homem não aparece nas imagens, mas sim a voz. A polícia diz que ainda procura saber quem é ele.

Recompensa

O programa Disque Denúncia está oferecendo recompensa de R$ 1 mil por informações que levem aos criminosos que ainda não foram presos.

Um cartaz com a foto do traficante Moisés Camilo de Lucena, de 28 anos, conhecido como “Canário”.

A informação é de que ele é um dos envolvidos no estupro coletivo da jovem.

Ele foi reconhecido pela vítima como o homem que a segurava no momento em que ela acordou no quarto, conhecido como abatedouro.
Canário foi preso várias vezes por assalto, porte ilegal de armas e tráfico de drogas. Ele estava solto desde desde janeiro por ordem da Justiça. Nesta terça, o juiz Eduardo Oberg revogou a liberdade condicional do suspeito.

De acordo com a polícia, Canário teria sido o primeiro homem a estuprar a adolescente no sábado pela manhã. A polícia já sabe que ela foi violentada pelo menos duas vezes, no sábado e no domingo à noite.

Já estão presos pelo crime, acusados de estupro, Raí de Souza e Raphael Duarte Belo, Mais cinco suspeitos estão sendo procurados; o traficante Moisés, um homem conhecido como Jefino e mais Marcelo Miranda Correa, Michel Brasil da Silva e Sérgio Luiz da Silva Júnior.

Acesse no site de origem: Após estupro, polícia cria atendimento especial para vítimas de violência (G1/Rio de Janeiro – 07/06/2016)