Araras lança protocolo de atendimento para violência sexual ou doméstica (G1 – 25/06/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Necessidade de rede de atendimento integrada para vítimas criou medida. Iniciativa busca descobrir o número real de casos de abuso no município.

A cidade de Araras (SP) passou a contar nesta quinta-feira (25) com um protocolo de atendimento para mulheres e crianças que passaram por algum tipo de violência sexual ou doméstica. A formulação da medida surgiu depois de detectada a necessidade de uma rede de atendimento integrada às vítimas de violência doméstica e abuso sexual em um simpósio realizado pela Câmara Municipal. A iniciativa serve para tentar saber a real dimensão dos casos de abuso na cidade, já que a maioria não chega ao conhecimento da delegacia.

O objetivo da iniciativa é prestar atendimento multidisciplinar em saúde às crianças e adolescente de ambos os sexos em situação de violência sexual, assim como a seus familiares, para prevenir e tratar as conseqüências decorrentes do abuso sexual, além de criar mecanismos que resultem no aumento da proteção e na diminuição da vulnerabilidade familiar. O protocolo vai contribuir para a formação de profissionais por meio do desenvolvimento de cursos de atualização, oficinas de sensibilização, capacitações e palestras, bem como dar supervisão institucional a profissionais ou equipes de trabalho.

A partir de agora, vítima de abuso ou violência poderão recorrer não só à delegacia, mas também a hospitais, escolas, ONGs. Todos os funcionários desses locais estarão aptos a orientar as vítimas para que procurem atendimento. Todas as denúncias recebidas serão registradas para que seja contabilizado o número real de casos. O foco do protocolo é nas escolas, já que concentram o maior número de crianças e jovens. Mães que denunciarem casos desse tipo nas unidades escolares serão encaminhadas para as assistentes sociais, que encaminharão as vítimas.

Projeto
“É uma grande rede de atendimento, que é um dos desafios, conseguirmos trabalhar em rede. Organizamos as secretarias-chaves, como a Saúde, a de Educação e Assistência Social para atender e receber essas pessoas. Nas escolas temos o setor do serviço social e as psicólogas que já foram treinadas para fazer esse atendimento. Então a mãe que quiser fazer essa denúncia ou o professor que denunciar, as assistentes sociais, junto com a equipe de psicologia, que já estão treinadas irão atender a essas crianças junto com o Conselho Tutelar e encaminhar para a rede para que tenha o atendimento necessário”, disse a coordenadora do projeto, Roberta Barbinato.

Segundo Roberta, a cidade espera ampliar o número de denúncias e descobrir a real situação desse tipo de violência no município. “Todas as unidades de saúde do município são portas de entrada, então as mulheres podem buscar esses serviços e também podem procurar diretamente a Delegacia da Mulher do município. A ideia é ampliar o número de denúncias, que é muito pequeno perto da violência que acontece no município. Com a rede preparada, todos farão a notificação compulsória e passaremos a ter dados reais da violência na cidade”, falou.

A cidade de Araras vai oferecer uma palestra às 19h desta quinta sobre a importância da rede de atenção no combate à violência, ministrada por Lourdes Andrades Simões, integrante do Conselho dos Direitos da Mulher. O evento acontece na Câmara Municipal e será aberto ao público.

A Vigilância Epidemiológica realizou um levantamento de casos de mulheres e crianças que deram entrada no pronto socorro, postos de saúde e hospitais com sinais de violência doméstica ou sexual. Em 2015, até o momento, foram registrados 17 casos, mais do que em 2014, durante o qual 13 casos foram informados.

Acesse no site de origem: Araras lança protocolo de atendimento para violência sexual ou doméstica (G1 – 25/06/2015)