As brasileiras ganham com a Copa, por Eleonora Menicucci (Folha de S.Paulo – 16/06/2014)

A Copa é um momento privilegiado para o país. O impacto dos investimentos no PIB, com seu efeito multiplicador, deverá superar os R$ 180 bilhões até 2019. O legado do Mundial deverá ser aprimorado nos próximos anos para benefício de todos.

As mulheres, entretanto, serão especialmente beneficiadas. A começar pelos investimentos em mobilidade urbana. As mudanças nos sistemas de transporte público, com o aumento da segurança e a redução do tempo de deslocamento, contribuirão para o enfrentamento à violência contra nós.

Da mesma maneira, a melhoria da iluminação pública e os projetos de ampliação do monitoramento dos espaços públicos com câmeras de segurança constituirão um instrumento permanente de combate à violência contra as mulheres. Essas melhorias fazem parte dos projetos de infraestrutura urbana e entorno das cidades-sede.

No mercado de trabalho, o governo federal ofereceu 240 mil vagas de capacitação profissional em mais de 50 diferentes cursos do Pronatec Turismo. Foram contemplados 21 Estados e 184 cidades. Das 166 mil matrículas efetivadas, 72% foram de mulheres, predominantemente nas áreas de hotelaria, turismo e lazer e outras do gênero. Maior capacitação significa melhores salários e mais empregos.

Outra boa-nova foi a ampliação da participação das mulheres em áreas mais valorizadas e tradicionalmente ocupadas por homens –como gestão e negócios, informação e comunicação e segurança. Nas obras dos estádios, elas chegaram a ocupar 5% dos postos de trabalho. Embora pareça pouco, isso representa 75% a mais do que a média nacional.

Desde 2009 a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) vem estimulando a realização de cursos para mulheres voltados para a construção civil. Os resultados indicam que a remuneração média das mulheres nesse setor tem sido superior à dos homens: elas realizam atividades mais especializadas.

O fortalecimento da participação delas nos esportes e no futebol, em particular, tem sido uma determinação da presidenta Dilma. Por exemplo, em 2013 o governo garantiu a retomada do Brasileirão Feminino, com patrocínio da Caixa. E vem investindo em campeonatos universitários e escolares, na Copa Libertadores da América e na construção do Centro de Excelência do Futebol Feminino, em Foz do Iguaçu.

Neste período de Copa, de grandes fluxos de pessoas, a SPM-PR está mais atenta do que nunca à questão da violência contra as mulheres. Iniciou em 25 de maio intensa campanha publicitária do Ligue 180 (a central de atendimento a mulheres em situação de violência), que incluiu o lançamento do aplicativo Clique180, com a ONU Mulheres. Articulou-se com todas as secretarias estaduais e municipais de políticas para as mulheres para que todos os equipamentos de enfrentamento à violência contra elas estejam em prontidão máxima.

Queremos que as mulheres sejam tratadas com respeito durante e depois do grande evento. A Copa das Copas será também a Copa das Mulheres! Estaremos todas e todos vibrando e torcendo pela vitória da seleção, pela vitória do Brasil.

ELEONORA MENICUCCI, 69, é ministra de Estado chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República

Acesse o site de origem: As brasileiras ganham com a Copa (Folha de S.Paulo – 16/06/2014)