Assassinato de mãe e filha no Ceará foi ‘feminicídio’, afirma delegada (G1 – 02/09/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Pai confessou ter matado mulher e filha de oito meses em Paracuru, no CE. Ele foi indiciado por duplo homicídio; feminicídio é agravante do crime.

O suspeito de matar a mulher e a filha de oito meses no Ceará, Marcelo Barberena, cometeu crime de feminicídio, segundo a delegada responsável pelo caso, Socorro Portela. “O crime foi motivado pelo fato da vítima ser uma mulher, eles vinham discutindo muito no relacionamento e a matou. Vitimou também a filha para simular um assalto”, diz a delegada.

A lei do feminicídio foi sansionada em março deste ano e trata do assassinato de mulheres por violência doméstica ou discriminação de gênero. A pena é de 12 a 30 anos de prisão, maior do que para homicídio. A pena pode ser aumentada se o crime for contra gestantes, menores de 14 anos ou maiores de 60.

Clique na imagem e assista ao vídeo da matéria:

Untitled-1

Marcelo Barberena foi preso em 23 de agosto, horas após o crime, e está na Divisão de Homicídio, em Fortaleza. A mulher de Marcelo, Adriana Moraes, e a filha de oito meses, foram encontradas mortas em um dos quartos da casa de veraneio.

Nesta terça-feira (1º), ele foi indiciado na Justiça por duplo homicídio triplamente qualificado: além de feminicídio, motivo fútil e sem chance de defesa às vítimas.

O laudo pericial também divulgado nesta terça aponta que a arma usada para matar Adriana Moraes e a filha de oito meses Jade Carvalho tem material genético do pai.

O inquérito já foi apresentado à Justiça. A delegada solicitou nesta terça uma nova reconstituição do crime. A delegada quer realizar a reconstituição às 00h30 do domingo, mesmo horário e dia da semana em que ocorreu o crime.

Segundo a polícia, Marcelo matou a mulher após uma discussão e, para simular que havia ocorrido um assalto, atirou também na filha. “No momento em que ela [a mulher de Marcelo] voltou o rosto para o travesseiro, ele pegou a arma que estava no guarda-roupas e atirou na Adriana enquanto ela chorava”, detalha a delegada.

“Adriana queria que Marcelo mudasse de emprego, e ele queria permenecer na loja onde é gerente. O casal vinha discutindo sobre isso, e as discussões eram recorrentes. Ele disse que já estava de cabeça cheia”, relata a delegada.

Marcelo BArberena particpa de procediemnto de perícia na casa do crime (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

Marcelo Barberena participa de procedimento de perícia na casa do crime (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

60 pessoas ouvidas
A delegada ouviu mais de 60 pessoas durante as investigações. Barberena foi interrogado seis vezes.

Socorro contou que, inicialmente, o marido de Adriana apontou o ex-caseiro da casa de veraneio com autor do suposto ataque na madrugada de domingo, quando mãe e filha foram mortas. A casa em Paracuru, no litoral leste do Ceará, pertence ao pai de Adriana.

Desde o início das investigações, os policiais e a delegada desconfiavam da história apresentada por Barberena e pelos familiares dele que também estavam na residência. “Ele se mostrou frio e desconfiado [quando foi trazido para a delegacia após a crime]”, disse Socorro Portela, explicando que estas são características incomuns para alguém que acabou de perder a família.

“O imóvel não foi arrombado, sendo assim não houve assalto. Foi constatado que em toda residência, do lado externo, na vizinhança, dava perfeitamente para ouvir os tiros. Principalmente, por causa do horário, meia-noite”, disse o perito Charton Bezerra.

Gaúcho confessa crime
Barberena confessou o assassinato ao ser levado novamente à casa na segunda-feira, mais de 24 horas após o crime. “Após mais de 3h30 de conversa, ele confessou”, disse a delegada. A polícia então passou a investigar o motivo do assassinato.

As investigações e depoimentos revelaram a existência de uma amante: uma jovem que trabalhou com Marcelo Barberena em 2014 e com a qual ele começou um relacionamento em fevereiro de 2015.

“Pelos relatos que colhemos, descobrimos que o Marcelo tinha o caso extraconjugal com uma colega de trabalho e que ele era uma pessoa que não gostava de ser contrariada”, ressaltou a delegada. A jovem, durante depoimento dado na tarde desta segunda-feira (31), confirmou a relação.

Homem é suspeito de assassinar mulher e filha de oito meses em casa de veraneio (Foto: Reprodução/ Facebook)

Homem é suspeito de assassinar mulher e filha de oito meses em casa de veraneio (Foto: Reprodução/ Facebook)

Acesse no site de origem: Assassinato de mãe e filha no Ceará foi ‘feminicídio’, afirma delegada (G1 – 02/09/2015)