Até o mês de setembro, Delegacia da Mulher registrou 8 mil ocorrências em Manaus (D24am – 05/10/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Grande parte dos crimes são provocados pelo companheiro ou ex-companheiro da mulher violentada, segundo a delegada.

Grande parte dos casos de violência contra a mulher, registrados em Manaus, ocorreram depois de desavenças relacionadas a pedidos de divórcio, pensão alimentícia e disputas pela guarda dos filhos do casal. É o que aponta a delegada Andrea Nascimento, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), que identificou o registro de 8 mil Boletins de Ocorrência (BOs), no período de janeiro a setembro deste ano, na sede da especializada, na zona centro-sul.

De acordo com Andrea Nascimento, as mulheres não conseguem resolver as questões judiciais acerca do casal e dos filhos dos dois que passam a viver em conflito (Foto: Jair Araújo)

De acordo com Andrea Nascimento, as mulheres não conseguem resolver as questões judiciais acerca do casal e dos filhos dos dois que passam a viver em conflito (Foto: Jair Araújo)

Os agressores, em geral, são os companheiros ou ex-companheiros. Segundo a delegada, quando os envolvidos são ouvidos na delegacia, os policiais identificam que a raiz da violência está em problemas não resolvidos, anteriormente, pelo casal na esfera jurídica, prolongando o conflito, inclusive, com a vitimização dos filhos. “Elas vêm parar na delegacia já com crimes como ameaças, injúrias, ofensas e até mesmo lesão corporal”, disse a delegada, acrescentando que, após o registro do crime na delegacia, a equipe da DECCM encaminha a mulher à Justiça para resolver as pendências do casal.

Ainda segundo a delegada, muitas vezes, há casos em que a mulher também prolonga o processo de separação de um companheiro com quem mantém um relacionamento conturbado quando há dependência financeira e emocional. “Enquanto ela não quebrar os vínculos com esse companheiro ou ex, ela ainda vai continuar nessa dependência”, afirmou. Segundo a delegada, que assumiu a titularidade da DECCM em janeiro de 2015, a média de BOs tem se mantido em 50 ocorrências, por dia, na especializada.

Justiça Itinerante

Para facilitar o acesso das mulheres atendidas, ou não, pela DECCM, a Polícia Civil (PC) firmou uma parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM) e tornou disponível o ônibus do projeto Justiça itinerante. O serviço também está disponível para homens e funciona, até o fim deste mês, no pátio da delegacia, na Avenida Mário Ypiranga Monteiro, no bairro Parque 10 de Novembro, zona centro-sul de Manaus, e, também, no anexo da DECCM, na Av. Nossa Senhora da Conceição, no bairro Cidade de Deus, ao lado do 13° Distrito Integrado de Polícia (DIP), na zona norte. Nos dois locais, o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Segundo a titular da DECCM, a parceria entre a PC e o TJAM existe desde o início do ano passado e esta é a quarta edição do projeto no local, fruto da parceria. A delegada afirmou que os atendimentos mais procurados são guarda de filhos, pensão alimentícia e divórcio.

O serviço inclui orientações jurídicas gratuitas para que o interessado possa ajuizar, sem advogados, ações no valor de até 20 salários mínimos, nas áreas da família e cível. A ação teve início, na manhã da última segunda-feira, e seguirá até o dia 31 deste mês, como parte das atividades em torno da campanha Outubro Rosa, relacionada à saúde da mulher.

Girlene Medeiros

Acesse no site de origem: Até o mês de setembro, Delegacia da Mulher registrou 8 mil ocorrências em Manaus (D24am – 05/10/2016)