Autoridades prestigiam Justiça pela Paz em Casa (TJMT – 10/03/2015)

A abertura oficial da campanha Justiça pela Paz em Casa foi especialmente marcada pela presença de mulheres dos cenários político e social de Mato Grosso. Reunidas no auditório do Tribunal de Justiça, elas deram brilho ao evento e reforçaram a importância da igualdade de gênero em casa, no trabalho e na sociedade. Autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário também marcaram presença no evento.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, abordou o direito fundamental e constitucional de ser diferente e fez um discurso enaltecendo as mulheres. “Quero esquecer os homens nessa manhã para que eles se sintam como muitas vezes as mulheres se sentem ao serem esquecidas, deixadas de lado”, propôs o governador, que estava acompanhado da esposa Samira Martins.

Pedro da Taques também pontuou as ações do Executivo que contribuem para a campanha, como o levantamento de inquéritos policiais com vítimas mulheres. “Precisamos de ações concretas, como a disponibilização de microcrédito exclusivo para mulheres. Porque as palavras convencem, mas o exemplo arrasta. Definitivamente precisamos concretizar tudo o que falamos aqui”, encerrou.

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Guilherme Malouf, também compareceu junto à esposa Maria Teresa Malouf, coordenadora da Sala da Mulher da AL-MT. “O poder legislativo quer somar a essa campanha que aborda um tema fundamental: a paz nas famílias. Precisamos investir em políticas públicas e por isso coloco a nossa casa à disposição da Corregedoria-Geral da Justiça para debatermos ideias e promovermos ações efetivas de enfrentamento à violência”, afirmou o deputado.

O procurador-geral de Justiça de Mato Grosso, Paulo Prado, ressaltou a parceria do Ministério Público com a campanha desenvolvida pela CGJ. “Contem com o Ministério Público para superarmos os desafios e somarmos esforços nessa causa. Somos parceiros e estamos juntos em busca da paz”, frisou o procurador, que ainda falou sobre as iniciativas do MP em favor do respeito em casa.

A vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso, Cláudia Aquino, reforçou a paz como mote da campanha e foi além. “O nosso discurso na OAB-MT em relação à violência contra a mulher conclama a paz e integra os homens. Eles precisam vir para o centro do ativismo e dizer que homem não bate em mulher”, enfatizou Cláudia, que foi bastante aplaudida.

A cerimônia teve o hino nacional tocado pela banda da Polícia Militar, um número musical no qual presidente da BPW Cuiabá, Sônia Mazetto, cantou “A Paz”, de Gilberto Gil, em dueto com um servidor do Tribunal de Justiça. O evento contou também com apresentação de karatê realizada por crianças e adolescentes da Academia Shotokan e com uma exposição de fotografias de mulheres de destaque no Estado.

Além das autoridades citadas, estiveram presentes no lançamento da campanha a vice-presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargadora Clarice Claudino da Silva, as desembargadoras Maria Helena Póvoas e Cleuci Terezinha Chagas, as magistradas Amini Haddad Campos, Ana Cristina Mendes, Ângela Gimenez e Jaqueline Cherulli, o secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Márcio Dorilêo, o secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social, Valdiney de Arruda, a vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho 23ª Região, Maria Theodoro Gomes, e a presidente do Conselho Estadual da Mulher e representante da Defensoria Pública, Rosana Leite.

A campanha – A Justiça pela Paz em Casa será realizada de 9 a 13 de março em todo o país, por iniciativa da ministra Carmen Lúcia Antunes Rocha, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Em Mato Grosso, o evento conta com apoio de diversas entidades públicas e privadas como: Governo do Estado, Prefeitura Municipal de Cuiabá, Ministério Público, Defensoria Pública, Assembleia Legislativa, OAB-MT, BPW¸ Anoreg, Refrigerantes Marajá, Clínica Femina, Energisa Mato Grosso, Banco do Brasil e Sicoob.

Ana Luíza Anache

Acesse no site de origem: Autoridades prestigiam Justiça pela Paz em Casa (TJMT – 10/03/2015)