Bairro com alto índice de violência contra mulher recebe ação em Macapá (Jornal On – 17/10/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O bairro Cidade Nova, na Zona Leste de Macapá está entre os que apresentam grandes índices de violência contra a mulher em 2015. Segundo informações do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram), a região registrou aproximadamente 50 casos. Devido aos números, o local recebeu neste sábado os diversos serviços sociais do projeto itinerante do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (Cram).

Ativdades de massoterapia, orientação psicológica, assistência jurídica, teste de glicemia, foram alguns dos serviços oferecidos para as moradoras do bairro. A estudante Gisele Ramos, de 23 anos, buscou atendimento psicológico para superar a violência que sofreu durante um casamento que durou dois anos.

“É difícil falar sobre isso, até hoje tenho medo de expor em detalhes o que sofri, mas com essa ajuda psicológica, estou mais confiante em voltar a crer que posso viver feliz, sem relembrar os traumas do passado. Daqui em diante buscarei o Cram para continuar com este atendimento”, enfatizou a jovem.

A coordenadora estadual do Cram, Otacília Paes ressalta que o projeto será estendido para diversos bairros da capital amapaense que apresentaram números elevados de violência doméstica em um levantamento feito pela Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM). Entre eles está o Perpétuo Socorro, na Zona Leste e Congós, na Zona Sul da cidade, além de toda a Zona Norte.

“O projeto visa trabalhar com os bairros onde ocorrem muitos casos de violência doméstica, para atender as vítimas e ajudar que elas superem as diversas agressões, sejam físicas, verbais ou psicológicas que recebem, na maioria das vezes, dentro da própria casa”, disse.

A dona de casa Regina Araújo diz que a ação social facilitou o acesso a diversos serviços de saúde, que segundo ela, não conseguia em hospitais e postos públicos.

“É importante que mais ações como essa aconteçam para a comunidade porque eu, por exemplo, tenho dificuldades em fazer exames e consultas, porque sempre que busco, não sou atendida. Hoje busquei atendimento no clínico geral e glicemia”, comentou.

Acesse no site de origem: Bairro com alto índice de violência contra mulher recebe ação em Macapá (Jornal On – 17/10/2015)