Botão do pânico é usado por 39 vítimas de violência doméstica em GO (G1 – 05/10/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Aparelho já evitou que um homem agredisse novamente uma mulher na capital. Vítima diz que uso do dispositivo a tranquiliza sobre aproximação do ex.

Trinta e nove mulheres vítimas de violência doméstica usam um dispositivo de segurança para evitar que os agressores se aproximem delas, em Goiás. Chamado botão do pânico, o aparelho já evitou que um homem agredisse novamente uma mulher na capital.

Leia mais: Central de denúncias contra violência a mulher recebe 360 mil ligações (Bom Dia Brasil, 05/10/2015)

Clique na imagem e assista ao vídeo da matéria:

Untitled-3

“Nós estávamos monitorando um agressor. Ele estava num bar e foi em direção à residência da vítima com o intuito de agredí-la, tanto que ele rompeu a tornozeleira e nós abordamos ele no caminho, evitando um crime que poderia ter sido cometido por ele”, disse o supervisor da Central de Monitoramento Eletrônico de Presos da Secretaria de Segurança Pública de Goiás, Freddy Henrique Boca Abrão.

O sistema foi instalado no estado em março de 2014. O aparelho fiscaliza o cumprimento de medidas judiciais que obrigam o agressor a ficar a uma certa distância. Ele envia à central de monitoramento a localização da vítima. No local, os técnicos também acompanham a movimentação do agressor, que usa uma tornozeleira eletrônica.

O dispositivo usado pela vítima é do tamanho de um celular e funciona com uma bateria, que pode ser recarregada na tomada. “Me acompanha o tempo todo. Vou ao mercado, faculdade está sempre comigo na bolsa e em casa ao meu lado”, relata uma mulher que foi agredida pelo ex-marido, em agosto.

Se a distância não for respeitada, o aparelho logo emite um alerta. O uso do dispositivo tranquiliza as mulheres agredidas. “Qualquer momento ele poderia aparecer, querer tomar satisfação, quem sabe até consumar o que ele tinha prometido que seria me agredir e até me matar. Mas com o aparelho dificulta um pouco e eu sei que eles vão estar me monitorando e qualquer coisa vão ligar pra mim”, relata a vítima.

O tempo de uso dos dispositivos é determinado pelo juiz. Para isso, o magistrado leva em consideração os riscos.

Botão do pânico é usado por 39 mulheres em Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Botão do pânico é usado por 39 mulheres em Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Acesse no site de origem: Botão do pânico é usado por 39 vítimas de violência doméstica em GO (G1 – 05/10/2015)