Brasília vira capital mundial pelo fim da violência doméstica (Instituto Avon – 29/11/2012)

Grafiteiras em ação em Brasília (Foto: Rodolfo Grilu)

O Brasil sediou esta semana o 2º Encontro da Parceria Global para o fim da Violência contra a Mulher (Global Partnership to End Violence Against Women), iniciativa da Avon Foundation for Women, do Instituto Avon e da ONG Vital Voices Global Partnership para promover alianças internacionais e multidisciplinares voltadas a esta causa. Fundada em 1997, a Vital Voices identifica, investe e traz visibilidade para mulheres extraordinárias de todo o mundo, desencadeando seu potencial de liderança para transformar vidas e acelerar a paz e a prosperidade em suas comunidades.

Cerca de 100 líderes de mais de 30 países – de defensores dos direitos humanos a representantes de organizações da sociedade civil e dos governos – se reuniram em Brasília durante três dias para trocar experiências e abrir perspectivas na busca conjunta de soluções para o fim da violência contra as mulheres. Esses líderes são dos mais variados perfis, como a ativista brasileira Maria da Penha Fernandes; o juiz do Supremo Tribunal jordaniano Mohammad Tarawneh; o ministro indiano de Assistência Social em Kerala MK Muneer e a líder russa de direitos humanos Anastasiya Ermolaeva.

A ministra Eleonora Menicucci assina o compromisso, observada por Sheri McCoy e David Legher (Foto: Rodolfo Grilu)

A ministra Eleonora Menicucci assina o compromisso,
observada por Sheri McCoy e David Legher

Na quarta-feira, 28 de novembro, o encontro, que acontece em meio às ações da campanha da ONU 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher, foi aberto ao público. Um dos pontos altos do dia foi o evento que formalizou a adesão da Avon à campanha Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha – a lei é mais forte, uma iniciativa da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM). Lançada em agosto, a campanha busca a difusão e o fortalecimento da Lei Maria da Penha e a responsabilização de agressores e assassinos de mulheres no país, envolvendo a sociedade no debate sobre a impunidade nos casos de violência.

“Os esforços para o enfrentamento da violência contra a mulher vêm se consolidando no Brasil. São instrumentos como a Lei Maria da Penha, conhecida por mais de 90% da população e tida internacionalmente como uma das mais avançadas; o Ligue 180, que acumula mais de 2,7 milhões de atendimentos e, recentemente, viabilizou o desbaratamento de uma quadrilha de exploração de mulheres na Espanha; e a rede de atendimento com delegacias especializadas, que ainda é insuficiente frente aos nossos mais de 5.500 municípios, mas tem plano e compromisso de expansão”, afirmou a ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para a Mulheres da presidência da República.

Com a adesão, a Avon – representada pela presidente mundial e CEO, Sheri McCoy, e pelo presidente da Avon Brasil, David Legher – passa a ser a primeira empresa privada a se comprometer publicamente com a campanha. Além da ministra e dos executivos da Avon, o fórum de abertura deste dia público contou com a participação de Alyse Nelson, presidente e CEO da Vital Voices e de Luiza Brunet, Embaixadora do Instituto Avon.

“Como empresa voltada para a mulher, a Avon tem o compromisso de desenvolver e apoiar soluções inovadoras que contribuam para o fim da epidemia de violência contra mulheres e meninas em todo o mundo”, disse a CEO da Avon Sheri McCoy. Ela também anunciou que a Avon Foundation premiará com US$ 100 mil as ideias mais inovadoras de projetos que surgirem durante as deliberações do encontro. As celebrações do dia 28 terminaram em grande estilo: uma festa da grafitagem, realizada num espaço público por 14 grafiteiras do Rio de Janeiro e de Brasília e promovida pelo Vital Voices Global Partnership.

Boas práticas globais
Durante três dias, os delegados da Global Partnership participaram de sessões de painéis interativos, grupos de trabalho e discussões de melhores práticas para partilhar soluções inovadoras, especialmente no que se refere ao enfrentamento da violência doméstica, do tráfico de pessoas e do abuso sexual e planejar as prioridades e estratégias dos seus países.

Desde sua criação, o Global Partnership tem promovido a transferência de conhecimento, soluções e programas de sucesso em todo o mundo. Para citar alguns exemplos, a parceria levou, na República Tcheca, à conclusão de um profundo estudo sobre os custos econômicos da violência doméstica com base em pesquisa similar realizada nos EUA; na Líbéria, uma parceria entre várias ONGs está dando origem a um centro de cuidados para vítimas de agressão sexual, nos moldes dos Centros de Atenção Thuthuzela na África do Sul; delegados da Jordânia abriram um centro de serviços para vítimas da violência doméstica com base no modelo de centros dos Estados Unidos e do México.

O Instituto Avon, que coordena as ações sociais da Avon no Brasil, vem colaborando intensamente com a causa. Além de de disseminar informação para as revendedoras de produtos Avon, realiza pesquisas, seminários e peças de comunicação, como fotonovelas e radionovelas, que tratam do respeito nos relacionamentos.

Desde 2008, quando lançou a campanha Fale sem Medo – Não à violência doméstica, o Instituto Avon direcionou mais de R$ 3,7 milhões para ações relacionadas a essa causa, e promoveu intensa divulgação do Ligue 180 e da Lei Maria da Penha. “A Avon é uma companhia que se relaciona o tempo todo com mulheres, e nos deparamos com muitas que vivem este drama, muitas vezes silenciosamente, e que ao receberem informações sobre como sair do círculo de violência começam a refletir sobre a situação em que se encontram e buscam saídas”, disse Lírio Cipriani, diretor executivo do Instituto Avon.

Acesse no site de origem: Brasília vira capital mundial pelo fim da violência doméstica (Instituto Avon – 29/11/2012)