Caminhada pela paz em Teresina lembra vítimas do estupro coletivo (G1/Piauí – 28/06/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Ato pediu paz e punição para os autores do crime que chocou o Brasil. Crime que vitimou quatro adolescentes completou um mês

Dezenas de pessoas participaram da caminhada “Liberdade para Viver”, que pede paz e lembra as vítimas do estupro coletivo ocorrido em Castelo do Piauí, crime que completou um mês. A ação ocorreu no fim da tarde deste domingo (28), teve início no Parque Potycabana e percorreu um trecho da Avenida Raul Lopes, na Zona Leste de Teresina.

“A caminhada tem como objetivo pedir justiça pelas meninas vítimas do crime em Castelo. Queremos a condenação dos menores infratores e mais segurança e atenção aos casos de violência contra mulher em nosso estado”, disse Denise Dias, uma das organizadoras do ato.

No dia 27 de maio, quatro adolescentes com idade entre 15 e 17 anos foram estupradas, espancadas, amarradas e jogadas do alto de um penhasco de mais de 10 metros de altura. Danielly Rodrigues não resistiu aos ferimentos e morreu no dia 7 de junho.

Quatro adolescentes e um adulto são acusados como os autores do crime. O processo judicial que vai julgar os jovens já começou e, segundo o promotor Cesário Cavalcante, todos devem cumprir medida socioedutiva. Adão José da Silva Sousa, 40 anos, também foi indiciado e irá responder pelos crimes de estupro, feminicidio, tentativa de homicídio, associação criminosa e corrupção de menores. O suspeito nega qualquer participação no estupro coletivo.

O caso chocou todo o Brasil e provocou solidariedade de dezenas de pessoas que compareceram ao Parque Potycabana. A caminhada foi organizada por enfermeiras do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), que atendeu todas as quatro vítimas.

Acesse no site de origem: Caminhada pela paz em Teresina lembra vítimas do estupro coletivo (G1/Piauí – 28/06/2015)