Campanha pretende agilizar processos de mulheres (O Popular – 30/07/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Em Goiás, dados indicam que há cerca de 45 mil ações relacionadas à violência de gênero, motivada pela condição subserviente da mulher.

Os processos que têm como motivação o crime de gênero serão priorizados durante a segunda edição da campanha nacional Justiça pela Paz em Casa, realizada nacionalmente entre a próxima segunda-feira (3) e sexta-feira (7).

A intenção é tornar mais ágil o trâmite e, assim, efetivar a punição dos autores, conforme explica o desembargador Luiz Cláudio Veiga Braga, presidente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar e de Execução Penal. “Ao dar uma atenção especial a essas ações penais, a campanha objetiva esclarecer a sociedade quanto a conscientização a respeito da violência doméstica”. A ação foi também realizada em março deste ano, entre os dias 9 e 13, em ocasião do Dia Internacional da Mulher.

Dia D
Na programação, haverá o Dia D: na quinta-feira (6), as Câmaras Criminais foram convidadas a formular pauta das sessões com exclusividade a processos que tenham a violência de gênero como tipificação penal. Essa força-tarefa vai também envolver magistrados que atuam nos Juizados Especiais da Mulher e nas Varas Criminais, que vão focar julgamentos, audiências e instruções de ações da Lei Maria da Penha.

Em Goiás, dados indicam que há cerca de 45 mil ações relacionadas à violência de gênero, motivada pela condição subserviente da mulher. Apenas nos dois Juizados da Mulher na capital são 7.835 processos. São crimes de lesão corporal, ameaça, estupro e feminicídio, entre outros.

Acesse no site de origem: Campanha pretende agilizar processos de mulheres (O Popular – 30/07/2015)