Cármen Lúcia anuncia novas edições da campanha em agosto e dezembro (TJAM – 17/04/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Após o sucesso do projeto em março, “Justiça pela Paz em Casa – Essa Nossa Justa Causa” terá duas novas edições ainda este ano

A vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministra Cármen Lúcia, anunciou novas edições da Campanha “Justiça pela Paz em Casa – Essa Nossa Justa Causa” ainda este ano. Em visita ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), no início da tarde desta sexta-feira (17), a magistrada confirmou os meses de agosto e dezembro como datas para a realização do projeto. A presidente do TJAM, Desembargadora Graça Figueiredo, apresentou o desempenho do Tribunal na primeira edição da campanha em 2015, realizada em março, e entregou uma placa de agradecimento e reconhecimento pelo êxito do projeto.

A Ministra Cármen Lúcia elogia desempenho da Campanha Justiça Pela Paz em Casa (Fotos: Raimundo Valentim/TJAM)

A Ministra Cármen Lúcia elogia desempenho da Campanha Justiça Pela Paz em Casa (Fotos: Raimundo Valentim/TJAM)

“É uma grande honra receber a ministra. A presença dela estimula e motiva todos nós a continuarmos empenhados em julgamentos mais céleres de processos relacionados à violência contra a mulher. Todos os Estados contam com estatísticas alarmantes de violência doméstica. Mas a campanha contou com participação ativa do TJAM. E é um marco não só pra nós mulheres. A atuação da Ministra Cármen Lúcia reacendeu uma luz de esperança. Podem ter certeza que o TJAM vai continuar engajado ao fiel cumprimento da Lei Maria da Penha”, prometeu a desembargadora-presidente.

A Ministra Cármen Lúcia elogiou o desempenho do Amazonas na campanha e destacou que um dos objetivos é aprimorar o projeto para as próximas edições. “Vamos buscar um número ainda maior em agosto e dezembro. Queremos que seja julgado, que se dê uma resposta às pessoas, famílias e filhos. O número foi muito superior ao que teria num período normal, se não houvesse o esforço concentrado dos juízes que trabalharam muito bem”, analisou a Ministra.

Cármen Lúcia destacou que é preciso toda a sociedade se empenhar para a busca de soluções ao problema. Ela destacou ainda que este tipo de processo demanda um aparato diferenciado ao Judiciário. “O que estamos fazendo hoje é chamar a sociedade para colaborar. A PUC tem ajudado em alguns estados ao ceder estagiários porque o Estado não tem como pagar uma máquina judiciária o tempo todo. As faculdades de psicologia e serviço social têm colaborado. Outro dado muito grave é que não há distinção de classe social. A agressão contra a mulher existe em todas as classes sociais”, destacou Cármen Lúcia.

A situação política do Brasil também foi analisada pela Ministra. “Vi algumas vezes nas ruas cidadãos com cartazes pedindo “Abaixo Tudo”. Não podemos destruir sem saber o que construir. Precisamos deixar um país melhor para quem vai vir depois. Que Brasil que temos? Que Brasil que queremos ter? O que fazer para termos o Brasil que merecemos ter? São 91 milhões de processos para 200 milhões de habitantes. Não dá para continuarmos deste jeito”, finalizou.

Fotos: Raimundo Valentim | TJAM

Acesse no site de origem: Cármen Lúcia anuncia novas edições da campanha em agosto e dezembro (TJAM – 17/04/2015)