Caso Amanda Bueno: ‘Fui ameaçada’, diz ex-mulher em julgamento de Miltinho da Van (G1/Rio de Janeiro – 10/10/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Testemunha contou que ex-marido ligou depois de cometer crime.  ‘Disse que ia me matar em seguida e depois se matar’, contou ela

A ex-mulher de Milton Severiano Vieira, o Miltinho da Van, suspeito de matar a noiva Amanda Bueno, prestou depoimento nesta segunda-feira (10) durante o julgamento de Miltinho. O crime ocorreu no dia 16 de abril do ano passado, data em que o suspeito apareceu em imagens de câmeras de segurança de sua casa batendo no chão com a cabeça de Amanda, que era sua noiva, e, em seguida, atirando contra ela. Poucas horas antes, ele almoçou com a ex-mulher, Ariane Cardoso Lima, dizendo que a amava.

Após ter consumado o crime contra Amanda, Ariane contou em depoimento no júri popular nesta segunda, que determinará a sentença de Miltinho da Van, que foi ameaçada de morte por ele. O julgamento foi realizado na 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Pelo menos oito testemunhas eram esperadas para prestar depoimento.

“Ele almoçou comigo, disse que queria voltar comigo e não amava ela. Depois, quando matou ela, ele me ligou e disse que ia me matar e depois se matar”, contou ela durante o depoimento como testemunha do caso. Ela disse que apresentou Amanda e Milton quando chamou a dançarina para ser modelo de sua loja. O relacionamento entre ambos acabou em novembro de 2014. Ela não relatou agressões físicas sofridas durante os 4 anos de relacionamento.

“Brigávamos por coisas bobas. Quando nos separamos, um mês depois, ela já estava morando dentro da casa”, lamentou ela, sob o olhar de Milton, vestido com uma camisa verde da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Não foram permitidas imagens dentro da sala de audiências da 4a Vara Criminal.

A família de Amanda Bueno chegou ao 3° andar do fórum criminal de Nova Iguaçu por volta das 12h. Eles usavam camisas com as fotos de Amanda e pediam justiça, mas foram impedidos de entrar com a peça de roupa no plenário, já que o juiz não permite manifestações.

Miltinho da Van é acusado de homicídio qualificado, na imputação de feminicídio, roubo de veículo quando tentou fugir da polícia e porte ilegal de arma de fogo.

Vídeo mostra agressão

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que a dançarina Amanda Bueno, de 29 anos, foi agredida e baleada antes de morrer.

O noivo da ex-integrante da Jaula das Gostozudas e da Gaiola das Popozudas confessou o assassinato, que teria sido motivado por ciúmes. Em depoimento, segundo o advogado Hugo Assumpção, ele disse que teve um “surto” e que está arrependido.

No vídeo, os dois aparecem saindo pela porta. Eles caem no chão do jardim e ele começa a bater com a cabeça dela na pedra, antes de dar vários socos no rosto da mulher, já sem reação. Em seguida, Milton se levanta, volta com uma arma e dispara contra Amanda.

Em novembro de 2015, a 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu decidiu que Milton Severiano Vieira iria a júri popular por matar a ex-mulher. Miltinho asfixiou e agrediu a ex-mulher, atirou em seu rosto e ainda tentou limpar a cena do crime.

Henrique Coelho
Do G1 Rio

Acesse no site de origem: ‘Fui ameaçada’, diz ex-mulher em julgamento de Miltinho da Van (G1/Rio de Janeiro – 10/10/2016)