Caso Leda Marta: OAB Pará pede acompanhamento da Comissão Nacional de Mulheres advogadas para o caso da advogada assassinada (OAB/PA – 27/05/2014)

Comissão de Proteção e defesa das mulheres, pediu providências para dar celeridade nos casos de homicídios de mulheres (Foto: OAB/PA)

Comissão de Proteção e defesa das mulheres, pediu providências para dar celeridade nos casos de homicídios de mulheres (Foto: OAB/PA)

O ofício assinado ontem, 26, pelo presidente da OAB/PA, Jarbas Vasconcelos e pala presidente da Comissão de Proteção e defesa das mulheres, Magda Abou El Hosn e será encaminhado hoje (27) à Presidente da Comissão de Mulheres Advogadas do Conselho Federal, Fernanda Marinela.

Em documento enviado, a seccional paraense, por meio da Comissão de Proteção e defesa das mulheres, pediu providências para dar celeridade nas investigações do triplo homicídio de mulheres ocorrido no município de Itaituba, há cerca de 62 km na capital paraense no oeste do Pará.

Entenda o caso

O crime aconteceu no último sábado, (22), pela manhã. Segundo a polícia, o homem entrou na loja Belíssima Moda Íntima, por volta das 9h e passou 32 minutos dentro do estabelecimento. Suspeita-se que ele tenha assassinado a advogada, Leda Marta Lucyk dos Santos, 40 anos, diretora-tesoureira da subseção da OAB em Itaituba, diante da filha, Hannah Estela, 10 anos, que foi morta em seguida. Essas ações teriam sido executadas em vinte e dois minutos. Ainda de acordo com a polícia, a funcionária chegou e, ao sair do quarto, o assassino a viu. Por ter visto o rosto do assassino, Taynara Siqueira também foi executada.

Os corpos foram encontrados por uma tia da funcionária da loja, que sentiu falta da sobrinha que costumava chegar cedo aos sábados e não estava atendendo o celular. Ao chegar à loja, a tia viu os corpos e chamou os bombeiros. Os corpos foram encontrados em um quarto, localizado entre a loja e a cozinha do prédio. Leda foi esfaqueada seis vezes, Hannah foi morta com três facadas e Taynara foi golpeada ao menos nove vezes. Alguns móveis estavam fora de lugar, o que indica que houve luta corporal entre o assassino e as vítimas.

Leda Marta tinha 40 anos e há dez vivia em Itaituba. A filha dela Hannah Estela, tinha 10 anos. Os corpos de advogada e da sua filha foram levados e sepultados em Palotina, no interior do estado do Paraná. O corpo da jovem Taynara Siqueira foi encaminhado para a localidade de Fordlândia, no município de Aveiro.

Punição ao advogado

Caso seja comprovado, de forma inequívoca que o advogado Altair dos Santos foi o mandante deste crime ele responderá por processo e, certamente a OAB irá suspender, caçar sua carteira por se tratar de uma das faltas mais graves que pode cometer o advogado: um crime. Neste caso, a pena máxima é a exclusão da advocacia.

A polícia já pediu a prisão temporária do advogado Altair dos Santos – suposto mandante do crime.

Ouça aqui o áudio com a entrevista do presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos sobre o assassinato da advogada Leda Marta

Leia a íntegra do ofício: “Ofício nº471/2014-Sec

Belém (PA), 26 de maio de 2014.

À
Excelentíssima Senhora
Fernanda Marinela de Sousa Santos
Presidente da Comissão Especial da Mulher Advogada
Nesta

Assunto: Pedido de Providências

Excelentíssima Senhora Presidente,

Cumprimentando-a, cordialmente solicito a V. Exa. especial atenção na investigação do bárbaro crime ocorrido em nosso Estado no último dia 22 de fevereiro do ano corrente, no Município de Itaituba; na ocasião, a vida de três mulheres foram ceifadas, a Advogada DRA. LEDA MARTA , sua filha HANNA STELA e de sua secretaria HELLEN TAYNARA.

Apesar de se tratar de um crime de gênero, motivado por razões machistas, sexista e preconceituosas, com ampla repercussão na sociedade regional, passados 3 meses do ocorrido, o acusado do triplo homicídio, DEJACI FERREIRA DE SOUSA, não foi preso, embora várias denúncias e informações de populares daquela região sobre o paradeiro do mesmo, nenhuma solução ao caso foi dada.

Contudo, a OAB/PA não mede esforços e cobra cotidianamente das autoridades, ações que capturem o criminoso, mas não tem obtido êxito nas suas demandas.

Na certeza de contar com apoio de V. Exa. e da Comissão Nacional em Defesa das Mulheres, pedimos sua visita e de sua Comissão ao Pará, a fim de realizarmos audiência pública na sede da

OAB e em Itaituba, para que, junto com a sociedade, possamos pressionar as autoridades a fazerem cumprir a Lei Penal em nosso Estado.

Atenciosamente,

Jarbas Vasconcelos
Presidente da OAB-PA

MAGDA ABOU EL HOSN
Presidente da Comissão de Proteção e Defesa das Mulheres OAB-PA”