Casos de agressões contra mulher aumentam neste ano em Araçatuba (G1/Rio Preto e Araçatuba – 31/07/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Segundo a polícia, mais de 400 mulheres fizeram denúncia neste ano. Número de vítimas cresceu 15% em 2016, segundo Centro de Referência

Dados da Secretaria de Segurança Pública mostram que mais de 400 mulheres vítimas de agressão procuraram a polícia de Araçatuba (SP) neste ano para registrar queixas. Mas, segundo a polícia, esse número pode ser bem maior já que na maioria das vezes falta coragem para fazer a denúncia.

Clique aqui para assistir à reportagem

O Centro de Referência da Mulher de Araçatuba, que presta atendimento psicológico e social às vítimas, recebe em média 400 mulheres por mês. O número de vítimas aumentou 15% neste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o centro, e na maioria dos casos o agressor é o marido. “Temos os casos de violência física, que são mais graves. Retiramos entre o mês passado e esse mês cinco mulheres da cidade porque receberam ameaças de morte”, afirma Marta Dourado, secretária de Assistência Social.

A delegada da Mulher, Luciana Pistori, diz que a denúncia é fundamental para que a polícia tome as providências e ofereça toda proteção à vítima. “Tem vítima que precisa voltar para casa para pegar pertences e então a polícia vai junto, tem a medida protetiva, tem todo um aparato que pode ajudar a mulher”, afirma a delegada. Casos de agressão a mulheres também podem ser denunciados de forma anônima pelo disque 100 em qualquer cidade da região.

Uma mulher que preferiu não mostrar o rosto era agredida pelo marido todos os dias. Foram cinco anos de sofrimento até que ela decidiu procurar ajuda. “Era chute, soco na cara, ele usou faca e cortou meu braço, sem motivo nenhum, era apenas por causa da bebida. Fiz a denúncia porque não aguentava mais essa vida e fui para casa do meu irmão”, diz a mulher.

Acesse no site de origem: Casos de agressões contra mulher aumentam neste ano em Araçatuba (G1/Rio Preto e Araçatuba – 31/07/2016)