Centro de atenção em Recife reúne serviços para vítimas de violência (Diário de Pernambuco – 15/07/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Inédito no país, espaço oferece atendimento médico, psicológico e policial para mulheres

A subnotificação de dados e a falta de estrutura na atenção primária à saúde sempre foram entraves no combate à violência contra a mulher. Com objetivo de mudar esse quadro, foi inaugurado ontem o Centro de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência, no Hospital da Mulher do Recife, no Curado. O espaço – inédito no país – vai agregar serviços médicos, psicológicos e policiais. Sem precisar se deslocar, as mulheres poderão, em um só espaço, receber atendimento médico e psicológico, fazer exame de corpo de delito e registrar um boletim de ocorrência. A estrutura conta ainda com duas suítes para hospedar vítimas que necessitem passar a noite no local.

Leia mais:
HMR inaugura espaço para mulheres vítimas de violência (HCP – 18/07/2016)
Estatística da violência contra a mulher em Pernambuco é alarmante (Rádio Jornal – 14/07/2016)
Hospital da Mulher inaugura centro de atenção a vítimas de violência (Folha PE – 14/07/2016)
Pernambuco registra número recorde de assassinatos de mulheres (TV Jornal – 13/07/2016)

O centro foi aberto na tarde de ontem e funcionará todos os dias, 24 horas. Durante a inauguração, o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, destacou que a confidencialidade dos serviços será garantida às pacientes. Não será preciso encaminhamento de outra unidade de saúde para a mulher ser atendida. “Teremos serviços das secretarias de Saúde e da Mulher de Recife, além do IML e a presença do governo do estado. É uma união de forças para garantir os cuidados”, afirmou.

Junho foi o mês com o maior número de assassinatos de mulheres deste ano. Os dados preliminares do mês passado também apontam para o pior cenário desde 2007, quando as ocorrências começaram a ser acompanhadas. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), entre janeiro e maio deste ano, 96 mulheres foram mortas. Em junho, segundo as estatísticas preliminares da secretaria, foram 36 assassinatos. No mesmo mês do ano passado, houve 22 mortes. O aumento foi de 65% entre junho de 2015 e de 2016.

“Sabemos que os dados de violência doméstica são subnotificados. As mulheres, muitas vezes, deixam de prestar queixa porque precisavam se deslocar para concluir o BO. Elas precisavam ir ao hospital, se deslocar para uma delegacia, ir ao IML. Agora, poderão fazer tudo isso em um só lugar”, pontuou o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho.

Legislação
Um dia antes de o Centro de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência ser inaugurado no Hospital da Mulher do Recife, o prefeito Geraldo Julio sancionou a lei ordinária 403/2013, que institui o Programa de Apoio às Mulheres Vítimas de Violência. De acordo com o texto publicado ontem no Diário Oficial do município, o programa vai identificar, nos postos de saúde, as mulheres vítimas de violência para encaminhá-las aos serviços de referência. O prazo de regulamentação da lei é de 60 dias.

Acesse no site de origem: Centro de atenção em Recife reúne serviços para vítimas de violência (Diário de Pernambuco – 15/07/2016)