Cerca de 80% dos autores de feminicídio em MG são presos

Em 2019, Estado registrou 256 casos consumados e tentativas do crime; órgãos públicos se reuniram para discutir soluções para o problema

Um levantamento do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) aponta que 80% dos autores de feminicídio no Estado foram presos no primeiro semestre deste ano.

Nesta quarta-feira (23), o órgão convocou uma reunião para fortalecer a rede de apoio às mulheres e definir estratégias de combate ao crime. Apenas em 2019, o Estado registrou em 100 casos feminicídio consumados e 156 tentativas.

O encontro aconteceu na sede do Ministério Publico, em Belo Horizonte. Estavam presentes os representantes de órgãos integrantes da rede de atendimento às mulheres em situação de violência, como promotoria de Justiça especializada, Casa Abrigo, centros de referência, Defensoria Pública e a Polícia Civil.

De janeiro a setembro deste ano, em Belo Horizonte, 12 mulheres foram mortas. No mesmo período, foram registradas 26 tentativas de assassinato de mulheres.  Segundo a Polícia Civil, 90% das vítimas não procuraram ajuda nem das autoridades e nem da família. Diante os números, a delegada Ingrid Estevam lembra a importância das denúncias para evitar o crime.

— Façam o registro. Peçam ajuda não só para polícia, mas para os familiares e os vizinhos. Assim que perceberem a ação do agressor, comunique a polícia para que possamos evitar as ocorrências.

A coordenadora do Centro Apoio Operacional das Promotorias de violência doméstica do MPMG, Patricia Habkouk, ressalta o trabalho que está sendo feito para punir os responsáveis pelos crimes.

— Cerca 80% dos autores de feminicídio foram presos nesse primeiro semestre de 2019. Estão presos, foram processados e vão ser responsabilizados pelos crimes que cometeram.

Por Marina Avelar

Acesse no site de origem: Cerca de 80% dos autores de feminicídio em MG são presos (R7, 24/10/2019)