Coronavírus: MMFDH alerta para crescimento de 8,5% nos atendimentos do Ligue 180

De acordo com dados do Ligue 180, a quarentena recomendada por governos estaduais e municipais como forma de conter a propagação do novo coronavírus (Covid-19) provocou um aumento de quase 9% no número de ligações para o canal que recebe denúncias de violência contra a mulher.

Segundo a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), a média diária entre os dias 1 e 16 de março foi de 3.045 ligações recebidas e 829 denúncias registradas, contra 3.303 ligações recebidas e 978 denúncias registradas entre 17 e 25 deste mês.

Para a ministra Damares Alves, o confinamento obriga vítimas a conviverem com seus agressores por longos períodos. “Pela nossa experiência, sabemos que o agressor é, na maioria das vezes, uma pessoa da família ou então muito próxima. Por isso, durante a quarentena, estamos reforçando os mecanismos que ajudam essas mulheres a denunciar”, disse.

A titular da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto, ressaltou a importância de tornar o lar um local seguro para a mulher. “Não é porque o principal agressor costuma ser o companheiro que isso vai acontecer em todos as casas, mas sabemos que, infelizmente, essa é uma realidade no Brasil. Por isso, estamos trabalhando com ações emergenciais e tomando medidas para que as vítimas sejam atendidas e acolhidas pela rede de proteção à mulher”, destacou.

Veja tambémMMFDH recomenda que organismos de políticas para mulheres não paralisem atendimento

Adaptação

Diante do novo contexto imposto pela pandemia, o MMFDH planeja novas soluções para que as denúncias de violações aos direitos humanos sejam feitas de forma segura para a vítima, como o lançamento de aplicativo e site.

Para fazer ligações do exterior, basta seguir as instruções contidas na cartilha

Ligue 180

Além de ser um canal gratuito e confidencial para fazer denúncias, o Ligue 180 também de reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e de orientar as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário.

Administradas pela ONDH, o Disque 100 e o Ligue 180 funcionam 24 horas por dia, todos os dias, inclusive finais de semanas e feriados. Podem ser acionados de qualquer lugar do Brasil e de vários países do exterior. Os canais de atendimento acolhem, registram, analisam e encaminham as denúncias aos órgãos de proteção.

Acesse no site de origem: Coronavírus: sobe o número de ligações para canal de denúncia de violência doméstica na quarentena (MMFDH – 27/03/2020)