Cresce registros de violência contra mulheres na DEAM do Sul do Rio (G1 – 13/08/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

De janeiro a agosto de 2015 foram 28 ocorrências; em 2016 foram 38. ‘Vítimas acabam rompendo barreira e vindo buscar ajuda’, diz delegada.

Um balanço da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro, que atende também famílias de Barra Mansa — cidade vizinha — apontou um crescimento no número de casos de violência sexual contra mulheres, principalmente de estupros. De janeiro a agosto do ano passado foram 28 ocorrências. No mesmo período desse ano, foram 38. A delegada responsável da Deam atribui o aumento à maior consciência das vítimas, que estão perdendo o medo de denunciar o agressor.

“As vítimas acabam rompendo a barreira do medo, do silêncio e vindo até uma delegacia policial pra buscar ajuda”, disse Maria Madalena Carnevalle, delegada da Deam.

O caso mais recente aconteceu no bairro Apóstolo Paulo, em Barra Mansa. Um homem, de 47 anos, foi preso em flagrante. Segundo a Polícia Civil, ele foi visto por moradores, dentro do caminhão em que vendia sucata, se masturbando em frente a três meninas — com idades entre dois e nove anos.

“O artigo 218A do Código Penal não exige que haja qualquer tipo de contato. Basta a presença de uma criança já é sufiiciente para a configuração desse crime”, explicou a delegada.

O fato pode resultar em sequelas graves para o resto da vida das crianças. “A criança pode ter uma depressão sem causa aparente. Pode até desenvolver uma doença psicosomática, como uma febre às 18h, sem nenhuma razão aparente física. A criança pode fazer uma introversão e se afastar dos amigos ou mesmo dos familiares. Uma agressividade em relação aos pais porque não tomaram nenhuma atitude — mas na verdade eles nem sabiam do fato. Por isso o diálogo constante”, disse Ilda Falcão, psicóloga.
Os casos de violência contra a mulher podem ser denunciados pelo número 180.

Assista vídeo no site de origem: Cresce registros de violência contra mulheres no Deam do Sul do Rio (G1 – 13/08/2016)