Criada comissão para enfrentar o tráfico de pessoas no país (O Globo – 06/02/2013)

O governo começou a distribuir mil exemplares de uma cartilha, um guia de referência, onde faz um raio-X do tráfico de pessoas no Brasil e aponta formas de enfrentar o problema. O guia, direcionado a entidades e especialistas que lidam com o tema, aponta indicadores dos vários tipos de tráfico: de crianças, de exploração no trabalho doméstico, sexual, laboral e para fins de mendicância.

Segundo a cartilha, a criança sujeita ao tráfico é a que não tem os pais, executa trabalhos que não são apropriados, não tem tempo para brincar e nem acesso à educação. No caso da exploração para trabalhos domésticos, a vítima vive com uma família, mas não come com essas pessoas e está sujeita a insultos, abusos, ameaças ou violência.

O governo criou ontem uma comissão tripartite para atuar no enfrentamento do crime de tráfico de pessoas, que será integrada por representantes do Ministério da Justiça e das secretarias de Políticas para Mulheres e de Direitos Humanos. Entre as atribuições, reduzir situações de vulnerabilidade ao tráfico de pessoas e capacitar profissionais e instituições para o enfrentamento.