Defensores Públicos de Mato Grosso emitem nota de repúdio à cultura do estupro (DPMT – 14/06/2016)

Por meio de nota de repúdio, os Defensores Públicos de Mato Grosso, no uso de suas atribuições institucionais, primordialmente na condição de promoção dos direitos humanos, se manifestam veementemente contra a cultura do estupro disseminada nacionalmente. Os membros da Instituição ressaltam ainda que defendem a dignidade da pessoa humana, principio que rege o Estado Democrático de Direito e se encontra descrito na Constituição Federal.

“Desaprovarmos qualquer forma de violência contra a mulher, dentro e fora dos lares, reconhecendo no patriarcalismo a submissão da mulher ao homem, onde a hierarquização redunda nos variados delitos sentidos e sofridos pelas mulheres”, diz trecho da nota.

O documento destaca também a campanha “Chega de Fiu Fiu”, desenvolvida pela Defensoria Pública do Estado desde março deste ano e que tem por objetivo diminuir os assédios às mulheres em locais públicos.

“A Defensoria Pública de Mato Grosso possui como um dos seus objetivos extirpar a cultura do estupro. A continuidade e a persistência de atitudes contrarias aos direitos humanos das mulheres não deve prosperar. Nenhum direito a menos. Uma vida sem violência é o que queremos”, afirmam ainda na nota.

Confira a nota na íntegra

Nota de repudio 001

Gabriela Galvão
Assessoria de Imprensa

Acesse no site de origem: Defensores Públicos de Mato Grosso emitem nota de repúdio à cultura do estupro (DPMT – 14/06/2016)