Defensoria Pública de São Paulo lança cartilha contra assédio virtual de mulheres (G1 – 12/08/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O guia dá dicas e orienta as vítimas em casos de ‘cyberbullying’. Cartilha foi criada por comitê após relatos das vítimas.

A Defensoria Pública de São Paulo lançou nesta semana uma cartilha contra o assédio virtual das mulheres, que tem se tornado comum. O guia orienta e dá dicas às vítimas.
A cartilha foi criada por um comitê após relatos das vítimas do chamado ‘cyberbullying’, e está disponível de graça na internet (confira).

“Nós sabemos que não adianta simplesmente proibir. Temos que conscientizar. A cartilha tem um enfoque amplo. Então, traz a perspectiva de quem sofre, de quem pratica, como prevenir, como remediar em caso de ocorrência”, afirmou o defensor público Júlio Azevedo.

A psicologa Elvira Araújo fala da importância da cartilha e como as pessoas agem na internet. “Acho que esse distanciamento que a ideia do mundo virtual traz pra gente nos faz esquecer az consequênciaz. Nós todos estamos verificando o tanto de sofrimento que as pessoas estão experimentando porque não avaliaram que as consequências são reais”, contou.

Caso
Uma adolescente que não quis se identificar tinha 15 anos quando foi convencida a mandar fotos íntimas para o namorado pela internet. Um ano depois as fotos vazaram.

“Foi uma chantagem e a gente não pensa que a pessoa vai passar para frente. Você acaba confiando na pessoa. No dia recebi 800 mensagens, é complicado, assusta bastante e você fica sem direção”, contou.

No ano em que ela foi vítima do crime, não existia a cartilha. Com isso o caso virou aprendizado e ela criou canais de comunicação para contar a história e alertar outras mulheres. “Criei um blog para que as pessoas pratiquem mais a empatia e para mostrar como isso afeta a menina que está sendo exposta, seja mais nova ou mais velha. Isso é um crime e é indiscutível”, completou.

Acesse no site de origem: Defensoria Pública lança cartilha contra assédio virtual de mulheres (G1 – 12/08/2016)