Defensoria Pública lança cartilha sobre Lei Maria da Penha traduzida para os idiomas terena e guarani (DPMS – 05/09/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Indígenas de Mato Grosso do Sul terão acesso a informações da Lei Maria da Penha em seus idiomas nativos. Nesta segunda-feira (05) o Núcleo de Proteção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem) e a Escola Superior, ambos órgãos da Defensoria Pública do Estado, lançarão cartilhas sobre combate à violência de gênero traduzidas para as línguas terena e guarani.

De acordo com a coordenadora do Nudem e defensora pública, Edmeiry Silara Broch Festi, as cartilhas foram pensadas após um evento realizado na Escola Superior em 2015 sobre os direitos das mulheres indígenas.

IMG_3824 - Cópia

Na ocasião, um grupo reclamou dos altos índices de violência de gênero nas aldeias do Estado, além da falta de informações sobre as alternativas possíveis de denúncias.

“O material surgiu como uma forma de levar essas informações às mulheres indígenas, que muitas vezes estão à margem de seus direitos”, explicou a defensora.

O Estado de Mato Grosso do Sul tem o segundo maior número de indígenas do país: 72 mil pessoas. Mas de acordo com o relatório sobre a violência contra os povos indígenas no Brasil do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), MS é o primeiro entre os que mais matam. Em 2014 foram 41 assassinatos. De 2003 até o ano retrasado o Estado acumulou quase metade de todos os óbitos de indígenas no Brasil. Foram 390 de um total de 754.

A violência contra a mulher também tem crescido exponencialmente. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, o número de denúncias de violência contra mulheres no Estado cresceu 23,1% no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apenas o Nudem atendeu 6.426 mulheres em 2015, 1.701 pessoas a mais que o ano anterior. No primeiro trimestre deste 2016 já foram atendidas 3.162 mulheres.

“Infelizmente ainda não temos dados de violências contras as mulheres nas aldeias, mas acreditamos que com a disponibilização deste material elas se sintam mais empoderadas para denunciar”, pontuou Edmeiry.

Serviço

O lançamento da cartilha será realizado às 9h, no auditório da Escola Superior, localizado na Rua Raul Pires Barbosa, 1519, Bairro Chácara Cachoeira, em Campo Grande.

O evento terá a presença de membros do Poder Público, além de mulheres e lideranças indígenas.

Lucas Pellicioni

Acesse no site de origem: Defensoria Pública lança cartilha sobre Lei Maria da Penha traduzida para os idiomas terena e guarani (DPMS – 05/09/2016)