Desembargadora conhece experiência de proteção às mulheres vítimas de agressão (TJBA – 24/04/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A desembargadora Nágila Maria Sales Brito, responsável pela Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça da Bahia conheceu o funcionamento de um dispositivo eletrônico capaz de avisar a polícia, em questão de segundos, se a mulher correr perigo de agressão.

A magistrada esteve em São Paulo, a convite das colegas do tribunal paulista, para saber como funciona o ‘botão de pânico’, como o equipamento é mais conhecido.

Desenvolvido pela organização não-governamental Geledes – Instituto da Mulher Negra, o aplicativo pode ser baixado gratuitamente na internet e vem sendo utilizado experimentalmente por mulheres paulistas ameaçadas de agressão.

Para a desembargadora Nágila, a Bahia teria menos dificuldades, na parte burocrática, porque já há um convênio de cooperação com a Polícia Militar. “Teríamos de arrecadar aparelhos de celular e treinar as mulheres para utilização do serviço”, disse.

Informalmente, a desembargadora já iniciou entendimentos com a prefeitura de Salvador no sentido de capacitar a guarda municipal e pode também otimizar, com a nova tecnologia, o serviço do governo estadual Ronda Maria da Penha, específico para proteção da mulher.

A coordenadora da Mulher do TJBA conheceu também o trabalho de conscientização e ressocialização de agressores, em São Paulo, como forma de interromper o ciclo da violência, “uma iniciativa que já tarda aqui na Bahia”, segundo ela, “pois já se sabe esta necessidade”.

A miss Universo de 1968 e psicóloga baiana Martha Vasconcellos esteve na Coordenadoria para tratar do assunto, em razão de ter experiência anterior em projeto similar desenvolvido em Massachusetts, nos Estados Unidos.

Acesse no site de origem: Desembargadora conhece experiência de proteção às mulheres vítimas de agressão (TJBA – 24/04/2015)