DF tem alta em casos de estupro pelo 2º mês seguido, na comparação com 2016 (G1 – 05/09/2017)

Dados da Secretaria de Segurança Pública indicam que estupros contra vulneráveis são maioria. Casos de homicídio tiveram redução; índice atual é o menor em 17 anos.

Balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública nesta terça-feira (5) mostra que os casos de estupro aumentaram em agosto, no Distrito Federal, com relação ao mesmo período do ano passado. Já os casos de homicídio – 32, no período – indicam redução em relação a 2016, e o menor número dos últimos 17 anos.

Ainda de acordo com o relatório, o número de estupros passou de 63 ocorrências registradas em agosto para 82, entre 2016 e 2017. As estatísticas mostram que 68% dos casos foram de estupros de vulneráveis, quando a vítima tem menos de 14 anos de idade ou alguma deficiência mental, ou está impedida de responder pelo próprio corpo – embriagada ou dopada, por exemplo.

Em 78% das ocorrências cometidas contra vulneráveis, o crime aconteceu na residência da vítima ou do agressor e, em 98% delas, vítimas e autores tinham algum vínculo. Em 49% das ocorrências de estupro contra não vulneráveis, o crime ocorreu na residência da vítima ou do autor.

Em entrevista coletiva concedida nesta terça, o secretário Edval Novaes afirmou que o registro de ocorrências de estupro, mesmo que tardiamente, é “fundamental para o trabalho policial de investigação dos casos”.

Para a chefe da Delegacia da Mulher, Sandra Melo, o estupro é “a pior das manifestações de dominação machista sobre o feminino” e o aumento nos casos denunciados mostra que as vítimas estão cada vez mais conscientes de que elas não podem sofrer essa violência calada”.

Mortes violentas

O governo do Distrito Federal afirmou também que no último mês de agosto houve redução nos casos de mortes violentas. Foram 32 no mês passado contra 48 no mesmo período do ano anterior, o que representa uma queda de 33,3%. O índice é o menor em 17 anos. Nos crimes de latrocínio foram seis registros este ano, contra três de agosto de 2016.

Roubos

O roubo de veículos foi a modalidade que apresentou a maior redução, de 20,6%, em comparação ao mesmo mês do ano passado. Já os casos de roubo a pedestres tiveram uma redução menor, foram 3.087 ocorrências, 167 a menos que no mesmo período de 2016. O roubo em transporte coletivo também teve queda de 7,6%.