Em aula magna a alunos da UNB, OAB/DF faz alerta para violência contra a mulher (OAB/DF – 08/08/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Universidade de Brasília (UnB) promoveu, nesta segunda-feira (8), mais uma edição da solenidade de boas vindas aos calouros, tendo como convidada especial a vice-presidente da Seccional da OAB/DF, Daniela Teixeira, acompanhada do juiz do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) Ben-Hur Viza. Ela ministrou aula magna sobre respeito, convivência e violência contra a mulher. Os calouros foram recebidos no Centro Comunitário Athos Bulcão.

Em aula magna a alunos da UnB, OAB/DF faz alerta para violência contra a mulherDaniela aproveitou a ocasião para lembrar que completava nesta data 25 anos de ingresso na Universidade de Brasília, onde se formou em Direito. Durante sua aula magna, a vice-presidente alertou para o fato de violência contra a mulher ter assumido proporções assustadoras no Brasil. “Somos o quinto país mais violento do mundo contra a mulher”, disse, ao acrescentar que a violência não escolhe cor nem classe social, atinge a todos, indiscriminadamente.

“Na realidade brasileira, a cada sete minutos uma mulher apanha; a cada 11 minutos uma mulher é estuprada”, afirmou, repetindo o trágico quadro estatístico de 13 mortes violentas de mulher por dia. Daniela Teixeira lembrou o rumoroso caso da jovem assassinada em 2016 por seu namorado, ambos alunos da faculdade. “Para que esse cenário mude, é preciso mudar a mentalidade dos jovens”, destacou Daniela, enfatizando que esse tipo de crime precisa ser combatido no próprio ambiente doméstico.

“O que peço a vocês, que conhecem possíveis vítimas da violência doméstica, é que mostrem os mecanismos da lei Maria da Penha para tirá-las dessa situação”. Ao reverenciar a memória de Luise Ribeiro (aluna de biologia assassinada em março pelo namorado), a vice-presidente fez um apelo às mulheres para que não dêem uma segunda chance quando o relacionamento estiver marcado pela violência. “A segunda chance é o que o agressor precisa até para matar, como aconteceu aqui”, advertiu.

Segundo Daniela Teixeira, a Lei Maria da Penha, que completou 10 anos de vigência no domingo (07), foi instituída para dar um basta à condição humilhante em que viviam muitas mulheres no país, submetidas a abusos físicos e mentais em seus próprios lares. “A Lei já mudou muita coisa, mas há um longo caminho a percorrer ainda”, disse. “O meu sonho é retornar a este local daqui a 25 anos e dizer que o discurso que estou fazendo hoje tornou-se obsoleto.”

IMG-20160808-WA0023O bate-papo com os convidados ao evento foi mediado pela diretora de Diversidade da instituição (DIV/DAC), Inez Montagner, que elogiou a atuação da vice-presidente na defesa das mulheres. “Ela faz isso com paixão”, disse. “Temos muito orgulho de ter Daniela como nossa aluna para sempre”.O juiz titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Núcleo Bandeirante (DF) e coordenador do Centro Judiciário da Mulher, Ben-Hur Viza, disse e as mulheres devem se encorajar para denunciar casos de violência. “Se a mulher não registrar ocorrência da violência, o Estado não tem como agir”, afirmou.

Comunicação social – jornalismo
OAB/DF

Acesse no site de origem: Em aula magna a alunos da UNB, OAB/DF faz alerta para violência contra a mulher (OAB/DF – 08/08/2016)