Em júri popular, acusado de matar esposa tem pena de 24 anos de prisão (G1/Prudente e Região – 26/05/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Julgamento foi nesta terça-feira (26), no Fórum de Iepê. Homem confessou que ciúmes foi a motivação do crime

Nesta terça-feira (26), foi condenado a 24 anos, por júri popular, Rogério Gomes da Rocha, 34 anos, marido de Mariana Paiano, de 25 anos, morta no final de 2013, em Nantes. O homem já havia confessado que matou a vítima a facadas anteriormente, por ciúmes. A audiência foi realizada no Fórum de Iepê, e contou com quatro votos a favor da punição. A família da mulher esteve presente durante o procedimento.

Maioria dos votos decidiu pela condenação (Foto: Sérgio Maciel/Arquivo Pessoal)

Maioria dos votos decidiu pela condenação (Foto: Sérgio Maciel/Arquivo Pessoal)

De acordo com as informações do Fórum, quando a maioria do júri apresenta seu posicionamento, a votação é encerrada, por isso, com quatro votos o réu foi teve a pena estabelecida.

Rocha permanecerá na Cadeia de Presidente Venceslau, e assim que a sentença condenatória for expedida, será administrativamente conduzido a uma penitência do Oeste Paulista, que não foi divulgada. O crime foi considerado ediondo.

O G1 procurou o advogado de Rogério, Agemiro Pameron, mas não teve sucesso até o momento desta publicação.

O caso

Rogério Gomes da Rocha foi preso no dia 27 de novembro de 2013 em uma fazenda em Martinópolis, um dia depois de matar a esposa. Na época, de acordo com o delegado Fábio Bonini Ferrão, ele assumiu que o crime foi motivado por não aceitar a separação do casal.

O homicídio aconteceu em Nantes. O filho do casal, ao chegar da escola, encontrou a mãe morta com cinco facadas no corpo. O carro do pai da vítima, que ficava na residência, não estava no local e testemunhas haviam visto o homem saindo com ele, o que o tornou o principal suspeito.

No dia 20 de agosto de 2014, o homem prestou depoimento e confessou ter matado a esposa por ciúmes. Ele apresentou sua versão à Justiça no Fórum de Iepê, onde o processo tramita. Durante a audiência, cerca de 200 pessoas fizeram uma manifestação na porta do local para pedir esclarecimento dos fatos.

Os protestantes utilizavam cartazes que pediam justiça em relação ao caso e solicitavam a condenação do marido de Paiano, por conta da Lei Maria da Penha. Algumas pessoas utilizavam camisetas com fotografias da jovem. Toda a ação foi pacífica.

De acordo com informações do Fórum, ele alegou que vivia desentendimentos constantes com a cônjuge e estavam prestes a passar por um processo de separação. “Ele afirma ter perdido a cabeça na ocasião e dado as facadas que vitimaram a mulher no dia 27 de novembro de 2013”, diz.

Mariane Peres

Acesse no site de origem: Em júri popular, acusado de matar esposa tem pena de 24 anos de prisão (G1/Prudente e Região – 26/05/2015)