Logo_Itaipu_PreferencialA Itaipu Binacional desde 2003 desenvolve um programa de incentivo à equidade de gênero voltado para os públicos interno e externo à empresa. E, de acordo com a coordenadora do programa, Maria Helena Guarezi, uma das ações prioritárias é o enfrentamento à violência, “até por estar na Tríplice Fronteira, onde há muito tráfico de pessoas”. Para Maria Helena, que representou a usina no evento de adesão à Campanha Compromisso e Atitude em março de 2014, “aderir à Campanha Compromisso e Atitude, mais que corroborar com ela, é dizer o quanto é importante que as empresas participem, que todos os entes da sociedade se engajem nessa luta para enfrentar, combater e também prevenir a violência contra a mulher. É uma coisa que dentro de nossas empresas podemos divulgar e, dependendo do tamanho delas, isso pode ter uma extensão enorme no País”.

Ações

– Entre 2004 e 2009, a empresa financiou a existência da Casa Abrigo de Foz do Iguaçu (PR). Hoje a unidade funciona em parceria com uma organização não-governamental em uma área cedida em comodato à Prefeitura do município. As atendidas podem permanecer até seis meses nesse espaço de abrigamento e proteção.

– Desde 2004 a empresa também desenvolve o Programa Incentivo à Equidade de Gênero, que se orienta pelos princípios da Convenção para a Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher.

– A empresa também informa que apoia projetos de organizações não-governamentais e governos municipais na região onde atua, dentre eles iniciativas e ações de enfrentamento à violência contra mulheres.

– A empresa integra o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Foz do Iguaçu.

– A Itaipu Binacional atua ainda em parceria com a Comissão de Estudos sobre Violência de Gênero da OAB/PR e a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal da Justiça do Paraná, o Fórum Popular de Mulheres e o Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres. Por meio dessas iniciativas, vem apoiando ações como o curso ‘Enfrentamento à Violência contra a Mulher’ (realizado em março e abril de 2014) e o projeto Mobilização pelos Direitos da Mulher (ocorrido em dezembro de 2013).

– Em agosto de 2014, durante a Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho, foi realizada palestra sobre violência contra a mulher e saúde mental – incluindo a temática do assédio moral e sexual.

– Estão previstas ainda entre as ações da empresa o acompanhamento e articulação entre a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Ministério do Trabalho e Emprego e organismos governamentais do Estado do Paraná e de Foz do Iguaçu para a efetivação do Centro da Mulher Migrante de Foz e do Núcleo da Mulher em áreas de Fronteira; participar da articulação para instituir a Rede Trinacional de Proteção à Mulher e do evento ‘Mil Mulheres pela Paz’, que neste ano colocará em pauta o enfrentamento ao tráfico de mulheres. Além da manutenção do apoio a projetos para o enfrentamento à violência contra mulheres apresentados por entidades da região onde a usina atua e a participação nos eventos da campanha 16 dias de ativismo contra a violência à mulher.

– Nos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, a Itaipu promoveu uma exposição interativa no centro do município de Foz do Iguaçu (PR), em parceria com a Prefeitura local e o Centro de Referência de Atendimento à Mulher. A empresa colou adesivos nos ônibus e vans do município e nos veículos de sua frota de transporte de empregados com um banner de divulgação do Ligue 180 – a Central de Atendimento à Mulher, que também foi divulgado nos meios de comunicação interna da empresa. A Itaipu também patrocinou um concurso cultural sobre a relação entre machismo e violência de gênero, promovido pelo Ministério Público do Paraná. A usina ainda enviou aos funcionários mensagem sobre o aplicativo Clique 180, para smartphones e celulares, desenvolvido pela ONU Mulheres em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), e distribuiu fitas brancas e folhetos explicativos no Dia do Laço Branco (6 de dezembro) sobre a campanha que visa conscientizar também os homens a se unirem contra qualquer forma de violação dos direitos humanos das mulheres.