Estupros coletivos levaram mulheres à morte no País; relembre (R7 – 16/06/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Caso Tayná e “Barbárie de Queimadas” estão entre os crimes que ganharam repercussão

Michelle Domingos (loira) e Isabela Pajuçara foram mortas no crime que ficou conhecido como “Barbárie de Queimadas”. Cinco mulheres foram estupradas em uma casa na cidade de Queimadas, na Paraíba, e os envolvidos decidiram matar Michele e Isabela. O casa aconteceu em 12 de fevereiro de 2012, quando os corpos foram encontrados na cidade.

Eduardo dos Santos Pereira (foto) foi apontado como mentor do crime. Ele e mais seis pessoas foram condenadas pelo crime, com penas de até 45 anos. Segundo a versão da polícia, Eduardo convidou as garotas para uma festa na casa dele. Em seguida, trancou as vítimas em um quarto, onde ocorreram os estupros. A polícia encontrou sêmen dos suspeitos nos corpos das jovens mortas e também nas sobreviventes.

Durante aproximadamente seis horas, uma adolescente de 13 anos passou momentos de horror em fevereiro deste ano em Osasco, na Grande São Paulo. Ela foi estuprada por pelo menos 15 rapazes, após fugir de casa e parar em uma comunidade no Jardim Aliança.

A garota foi encontrada com vida e contou a noite de horror que viveu. Nove suspeitos foram levados à delegacia: quatro adultos e cinco adolescentes. Todos foram reconhecidos pela vítima.

Integrantes da Banda New Hit foram condenados a 11 anos de prisão. Eles foram acusados de estuprar duas fãs dentro de um ônibus em 2012 na Bahia.

O caso da adolescente Danielly Rodrigues, de 17 anos, morta após o estupro coletivo que sofreu junto com três amigas, em Castelo do Piauí (PI), entrou para a triste estatística de violência contra a mulher no País.

Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), uma mulher é morta a cada uma hora e meia vítima de violência no Brasil. O número representa uma média de 5.664 mortes a cada ano.

O estupro coletivo é uma das mais brutais manifestações dessa violência. Veja, nas imagens a seguir, casos que ganharam repercussão e chocaram o País nos últimos tempos.

Além de Danielly, outras três adolescentes foram estupradas e jogadas de uma ribanceira no Piauí no dia 27 de maio. O crime foi cometido por três adolescentes e um adulto, de 40 anos, que foram presos e confessaram participação.

Elas foram até um ponto turístico da cidade para tirar fotografias quando foram abordadas. A polícia disse que as vítimas foram estupradas em sistema de rodízio por cerca de duas horas. Leia a reportagem completa.

Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, foi estuprada e morta em junho de 2013 na cidade de Colombo, no Paraná. O corpo foi encontrado em um matagal próximo a um parque de diversões.  Segundo a polícia, um laudo apontou a presença de sêmen de diversas pessoas no cadáver da garota.

O caso sofreu uma reviravolta após denúncias de torturas policiais para que quatro jovens confessassem o crime e resultou no afastamento de 16 militares. Os suspeitos foram soltos após a divulgação de um exame que comprovou que o sêmen encontrado no corpo de Tayná não pertencia a nenhum deles. Os policiais detidos também foram liberados.

A família de Tayná denuncia que o caso nunca foi resolvido. Cleusa Cadoná conversou com o R7 e disse estar no ‘limite’ da paciência porque o inquérito não é concluído.

— Quem fez o que fez com a minha filha está em liberdade e ela nunca mais voltará. Tenho vontade de ir todos os dias tirar satisfação na delegacia, mas não posso atrapalhar as investigações. Estou cansada. Preciso que o Estado dê uma resposta.

Acesse no site de origem: Estupros coletivos levaram mulheres à morte no País; relembre (R7 – 16/06/2015)