Etapa NE – Lançamento da Campanha Compromisso e Atitude – Maceió, 12/11/2012

A Campanha “Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha – A lei é mais forte” será lançada em Maceió, Alagoas, no dia 12 de novembro, em solenidade com início às 10h, no auditório da Escola Superior da Magistratura (Esmal).

Uma iniciativa da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), a Campanha é resultado da cooperação entre o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Defensoria Pública e o Governo Federal, com o objetivo de unir e fortalecer os esforços nos âmbito municipal, estadual e federal para dar celeridade aos julgamentos dos casos de violência contra as mulheres e garantir a correta aplicação da Lei Maria da Penha.

Alagoas foi o Estado escolhido para sediar o lançamento da etapa nordestina da campanha em razão dos elevados índices de violência contra as mulheres. Os dados do Mapa da Violência 2012, divulgados pelo Instituto Sangari, mostram que Alagoas ocupava, em 2010, a segunda posição no ranking nacional da violência contra as mulheres, com taxa de 8,3 para cada grupo de 100 mil mulheres. Na liderança da estatística está o Espírito Santo (ES), no Sudeste, com índice de 9,4. Na terceira posição, Paraná, na região Sul, com taxa de 6,3.

O juiz titular do 4° Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra Mulher, Paulo Zacarias da Silva, afirmou, durante reunião preparatória para o lançamento: “É fundamental conscientizar os alagoanos para respeitar suas companheiras”.

Para a secretária da Mulher, Katia Born, a campanha é importante porque visa sensibilizar todos os poderes no combate a violência. “A secretaria está construindo toda essa ação em defesa da mulher. Os órgãos parceiros de Alagoas estão com a meta de reduzir drasticamente os índices dessa violência no Estado”, declarou.

Mais informações: 
Diretoria de Comunicação (Dicom) com informações da Secretaria da Mulher
[email protected] – (82) 4009.3240/3141

Acesse no site de origem: Judiciário e Executivo unidos no combate à violência contra mulheres (TJAL – 23/10/2012)