MP e Cami lançam cartilha de violência doméstica para mulheres imigrantes (Memorial – 09/12/2013)

Nos últimos anos, tem sido alarmante a incidência de casos de violência doméstica e familiar envolvendo mulheres provenientes de países da América Latina, em especial da Bolívia, que muitas vezes, em função da dificuldade com a língua portuguesa, não conseguem acessar os direitos assegurados na Lei Maria da Penha e a rede de serviços de atendimento às mulheres.

Diante deste panorama, Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica do Ministério Público do Estado de São Paulo (GEVID) em parceria com o Centro de Apoio ao Migrante (CAMI), desenvolveu a versão em espanhol da cartilha “Mulher, Vire a Página”, com o objetivo de contribuir para o enfrentamento e combate às diversas expressões da violência doméstica que assolam mulheres migrantes residentes em São Paulo.

E é apoiando este enfrentamento que o Memorial da América Latina sedia o evento de lançamento da cartilha “Mujer da Vuelta la Página”, que ocorre no próximo dia 13 de dezembro, às 17h, na Biblioteca Latino-Americana Victor Civita, com entrada franca e acesso pelo portão 5.

Além das apresentações dos grupos de dança folclórica Aquarela Paraguaia e Kantuta Bolívia, o evento conta com a presença do Procurador-Geral de Justiça, Márcio Fernando Elias Rosa, da Promotora de Justiça e coordenadora do GEVID, Silvia Chakian de Toledo Santos, da Promotora de Justiça do GEVID, Nathalie Kiste Malveiro, do coordenador do CAMI, Roque Patussi e da representante do CAMI, Carmen Rosa Hilari Poma.

Serviço:
Lançamento da cartilha “Mujer da Vuelta la Página”
Dia 13 de dezembro, às 17h
Local: Biblioteca Latino-Americana Victor Cívita
Apresentação Especial: Grupo de dança folclórica Aquarela Paraguaia e Kantuta Bolívia
Entrada Franca

Acesse no site de origem: Evento promove o enfrentamento à violência doméstica (Memorial – 09/12/2013)