Executivo do Piauí destaca ações da Delegacia de Feminicídio (Gov/PI – 06/01/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O Piauí teve em 2015 a primeira Delegacia de Feminicídio do país como uma grande novidade.

A vice-governadora Margarete Coelho avalia as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado na área da segurança pública para as mulheres piauienses em 2015. Com inovação, o Piauí saiu na frente com a criação da primeira Delegacia de Feminicídio do país.

Vice-governadora Margarete Coelho (Foto:Ascom Vice-Governadoria)

Vice-governadora Margarete Coelho (Foto: Ascom Vice-Governadoria)

“O Piauí teve em 2015 a primeira Delegacia de Feminicídio do país como uma grande novidade. A modulação feita no estado em casos de feminicídio é uma questão de gênero e não só uma questão da mulher, ou seja, todos aqueles gêneros que se aproximam e se identificam com o sexo feminino, gays lésbicas, todos eles estão abarcados na nossa delegacia”, explicou.

Segundo Margarete, a delegacia de feminicídio também investiga a vingança pornográfica, que são aqueles crimes causados através da internet, onde muitas vezes são parceiros inconformados com o fim do relacionamento e que expõe a intimidade da mulher. Além disso, possui um núcleo de investigação que diagnostica como está o problema de violência contra a mulher e com isso orientar as políticas públicas.

Para a delegada Anamelka Cadena, do Núcleo de Feminicídio do Estado, um relatório da Secretaria de Segurança Pública já está sendo finalizado com dados de notificações de todo o estado. “Os casos de feminicídio notificados por todo o estado estão sendo colhidos para a elaboração de um anuário. Esse documento é importante para nortear o nosso trabalho e termos como elaborar um comparativo posteriormente com dados precisos”, esclarece.

“O Piauí deu um grande avanço, mas nós precisamos avançar mais ainda. Precisamos ter um aparelho estatal mais eficiente ainda para que a mulher possa se sentir realmente segura ao se dirigir a esses aparelhos do Estado, saber que vai ser bem recebida e que seu caso será resolvido”, ressaltou Margarete.

Acesse no site de origem: Vice-governadora fala de ações da Delegacia de Feminicídio (Gov/PI – 06/01/2016)