Homem é condenado a 19 anos por matar esposa em BG (TJMT – 25/11/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Josival Gomes da Silva foi condenado pelo Tribunal do Júri na comarca de Barra do Garças (a 509 km de Cuiabá), nesta terça-feira (24 de novembro), pelo homicídio da esposa Clélia Mendes de Souza. O Conselho de Sentença reconheceu a materialidade do crime e que o réu foi o autor do golpe de faca que atingiu a moça. Por maioria dos votos, reconheceu também as qualificadoras de motivo fútil e aplicação de recursos que dificultou a defesa da vítima.

Diante das circunstâncias do crime, o juiz Bruno D’Oliveira Marques, presidente do júri, determinou a pena definitiva do condenado em 19 anos de reclusão. Ela será cumprida inicialmente em regime fechado. O réu pode recorrer da sentença, mas permanece preso. Conforme o magistrado, trata-se de um feminicídio, contudo, como ocorreu antes da entrada em vigor da Lei 13.104, ela não se aplica. O julgamento começou às 8h, terminou às 16h30 e foi acompanhado por representantes da rede de enfrentamento à violência contra a mulher.

De acordo com a denúncia, o crime aconteceu em dezembro de 2012, no bairro Santo Antônio. Josival e Clélia eram casados há cerca de dois anos. “O denunciado, naquela madrugada fatídica, já predeterminado a matar a vítima, por motivos de ciúmes, esperou que ela adormecesse, quando, então, adentrou ao quarto onde a mesma dormia profundamente e, empunhando um canivete (ou faca) lhe desferiu impiedosamente um golpe na região do pescoço”, narrou o Ministério Público. A vítima morreu no local.

Segundo o processo, o acusado suspeitava de traição da esposa. Para a acusação, o motivo do homicídio foi ciúme e o sentimento de posse do réu sobre a vítima. O crime foi praticado por Josival na presença da enteada e filha de criação da vítima, a menina K.S.S., que tinha apenas 8 anos de idade na época e dormia no mesmo quarto em que Clélia foi golpeada. Ela teria presenciado a mãe agonizando até a morte. Além disso, a outra filha da vítima, R.S.M., estava dormindo no quarto ao lado e também presenciou a mãe morrendo.

Na sentença, o magistrado Bruno D’Oliveira Marques determinou ainda que, “em razão da notória vulnerabilidade a que se encontra a filha de criação da ofendida, K.S.S., seja encaminhada ao(à) Curador(a) da Infância e Adolescência cópia integral dos autos para se averiguar a necessidade de se manejar pedido de medidas protetivas em favor da infante, mormente pelo trauma e abalo psicológico sofrido após o crime”. Leia AQUI a íntegra da decisão.

Ana Luíza Anache
Assessoria de Comunicação CGJ-MT

Acesse no site de origem: Homem é condenado a 19 anos por matar esposa em BG (TJMT – 25/11/2015)