Homens do Tocantins aderem à Campanha Laço Branco (Surgiu – 07/12/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Campanha Quem Ama Abraça, realizada no Tocantins pelos 16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra a Mulher, promoveu nesta segunda-feira, 07, o Encontro de Homens do Tocantins, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar (PM). O encontro reuniu homens, em especial policiais civis e militares, com o objetivo de conscientização e de comprometimento quanto a não violência contra mulher, através da adesão à Campanha Laço Branco, que tem a finalidade de unir homens que defendem a ideia de que jamais se deve cometer ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência.

A campanha Laço Branco mostra que as mulheres não estão sozinhas na luta e que existem muitos homens que são absolutamente contrários a qualquer forma de violência contra elas. “Somos todos defensores desta causa e com isso conclamamos todos os homens e as forças que estão aqui presentes para assumir esse compromisso de proteger e combater a violência contra a mulher. Neste ato, declaramos que os homens do Estado do Tocantins se comprometem a proteger as mulheres tocantinenses”, discursou o subsecretário de Defesa e Proteção Social, Hélio Marques.

O comandante geral da PM, coronel Glauber de Oliveira Santos, proferiu palestra e destacou que a corporação já desempenha o papel de proteger o cidadão. “A nossa instituição é capilar, e está em todos os municípios tocantinenses. Diante disso, autorizamos todos os policiais militares a usarem o laço branco em suas fardas, levando a mensagem de que todos os homens devem proteger as mulheres do Tocantins”.

Ao final do encontro, em um ato simbólico pelo comandante geral da PM e pelo subsecretário de Segurança Pública, Abizair Antônio Paniago, que trocaram laços brancos, todos os homens participantes do evento também trocaram laços, demonstrando o compromisso de não causar violência contra a mulher, de proteger e denunciar quem comete tal ato.

Use o laço branco

Hélio Marques incentiva todos os homens do Tocantins. “Durante o mês de dezembro, use um laço no peito ou uma fita branca no braço, bem como faça e cumpra a promessa de nunca cometer, tolerar ou permanecer em silêncio sobre a violência contra mulheres e meninas. Junte-se aos milhares de homens, meninos, mulheres e meninas ao redor do mundo que buscam um futuro livre da violência”, conclamou.

Orientações da campanha

Dentre as orientações da campanha para dar um basta à violência contra a mulher estão: denunciar todos os atos de omissão, transgressão e violação dos direitos civis, políticos e humanos, resultantes da desigualdade de gênero; exigir do Estado mecanismos para responsabilizar os autores de tais atos; informar e sensibilizar outros homens sobre os problemas resultantes da desigualdade de direitos entre homens e mulheres; pensar sobre o tipo de homem que você quer ser: gentil, responsável, que compartilha igualmente na vida familiar e respeita as mulheres e meninas; nunca use coerção, ameaças ou violência em seus relacionamentos com os outros; ensine os seus alunos e os jovens em sua comunidade sobre igualdade de gênero e relacionamentos saudáveis; não use linguagem ofensiva, piadas sexistas e bullying, em sua escola, comunidade, local de trabalho, ou lugar de culto.

História

No dia 6 de dezembro de 1989, um homem de 25 anos (Marc Lepine) entrou armado na Escola Politécnica de Montreal, no Canadá. Em uma sala de aula, ele ordenou que os homens (aproximadamente 50) se retirassem. Assassinou 14 mulheres e depois saiu atirando pelos corredores e outras dependências da escola, gritando “Eu odeio as feministas”. Desta forma, ele matou 14 estudantes, todas mulheres. Feriu ainda 14 pessoas, das quais 10 eram mulheres. Depois se suicidou.

O crime, que ficou conhecido como o “Massacre de Montreal”, mobilizou a opinião pública daquele país, gerando amplo debate sobre as desigualdades entre homens e mulheres e a violência gerada por esse desequilíbrio social. Assim, um grupo de homens canadenses decidiu organizar-se para dizer que existem homens que cometem a violência contra a mulher, mas existem também aqueles que repudiam essa violência. Eles elegeram o laço branco como símbolo e adotaram como lema: jamais cometer um ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência. Lançaram, assim, a primeira Campanha do Laço Branco (White Ribbon Campaign): homens pelo fim da violência contra a mulher.

Shara Rezende

Acesse no site de origem: Homens do Tocantins aderem à Campanha Laço Branco (Surgiu – 07/12/2015)