Instituto Avon divulga pesquisa inédita sobre a percepção dos homens acerca da violência doméstica contra as mulheres

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O Instituto Avon divulgou em evento realizado em São Paulo, no dia 29 de novembro, a pesquisa inédita Instituto Avon/Data Popular – Percepções dos Homens sobre a Violência Doméstica contra a Mulher.

O evento contou com a presença da ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, David Legher, presidente da Avon Brasil, Alessandra Ginante, presidente do Conselho do Instituto Avon, Carlo Zuma, cofundador e secretário executivo do Instituto Noos, Jacira Melo, diretora do Instituto Patrícia Galvão, Schuma Schumaher, coordenadora da Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh) e de Renato Meirelles, presidente do Data Popular, instituto que realizou a pesquisa em parceria com o Instituto Avon.

Avon apoia a Campanha Compromisso e Atitude

A pesquisa é parte das ações da campanha Fale sem Medo – não à violência doméstica, promovida pela Avon em todo o mundo. Trata-se da terceira pesquisa de uma série que teve início em 2009, com o objetivo de conhecer as percepções da população em relação à esse tipo de violência.

Há vários anos o Instituto Avon desenvolve ações de responsabilidade social no enfrentamento à violência contra as mulheres e ao câncer de mama. No final de 2012, o Instituto aderiu à Campanha Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha. Com a adesão, a Avon, no ato representada pela presidente mundial e CEO, Sheri McCoy, e pelo presidente da Avon Brasil, David Legher, tornou-se a primeira empresa privada a se comprometer publicamente com a Campanha Compromisso e Atitude.

O que os homens pensam sobre a violência doméstica cometida contra as mulheres

  • 56% dos homens admitem que já cometeram alguma dessas formas de agressão: xingou, empurrou, agrediu com palavras, deu tapa, deu soco, impediu de sair de casa, obrigou a fazer sexo
  • 75% dos homens apanharam de um adulto quando criança
  • Maioria considera inaceitáveis certas condutas por parte da mulher:
    85% condenam que ela fique bêbada; 69% que saia com amigos/as, sem o marido;
    46%, que ela use roupa que consideram “inadequada”
  • 37% dos homens acham que, por causa da Lei Maria da Penha, as mulheres os desrespeitam mais
  • 89% dos homens consideram inaceitável que a mulher não mantenha a casa em ordem
  • 53% a mulher é a principal responsável pelo sucesso do casamento
  • 96% aceitariam alguma forma de mediação em caso de conflito com a mulher

A pesquisa Percepções dos Homens sobre a Violência Doméstica contra a Mulher foi realizada entre agosto e setembro de 2013, e incluiu duas etapas, uma quantitativa – com entrevistas em profundidade com 995 homens e 505 mulheres de 16 anos ou mais, em 50 municípios das cinco regiões brasileiras – e uma qualitativa, em que participaram 13 especialistas no tema da violência doméstica contra mulheres e seis homens autores de violência.

Clique aqui para fazer o download da pesquisa.

Veja a seguir a programação completa do evento

1º Fórum Fale Sem Medo e Lançamento da Pesquisa “Percepções do Homem Sobre a Violência Contra a Mulher”

Data: 29 de novembro
Local: Pátio Duo – Rua Fernão Dias, 238, Pinheiros, São Paulo
Horário: 9h30 às 17h

9h30 – CAFÉ DE BOAS VINDAS

10h – Apresentação da pesquisa Instituto Avon/Data Popular – Percepção dos homens sobre a violência doméstica contra a mulher, com a presença de:
ELEONORA MENICUCCI – ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
DAVID LEGHER – Presidente da Avon Brasil
ALESSANDRA GINANTE – Presidente do Conselho do Instituto Avon
CARLOS ZUMA – Cofundador e secretário executivo do Instituto Noos
JACIRA VIEIRA DE MELO – Diretora do Instituto Patrícia Galvão
SCHUMA SCHUMAHER – Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh)
RENATO MEIRELLES – Presidente do Data Popular

12h – BRUNCH
13h – Apresentação de curtas vencedores do concurso Em Briga de Marido e Mulher se Mete a Colher, realizado pelo Instituto Avon em parceria com o Festival do Minuto, em 2013
13h30 – Fórum com perguntas do público sobre o conteúdo da pesquisa Instituto Avon/Data Popular – Percepção dos homens sobre a violência doméstica contra a mulher, com a participação de ALESSANDRA GINANTE, CARLOS ZUMA, RENATO MEIRELLES, LÍRIO CIPRIANI E JACIRA VIEIRA DE MELO

14h – Debate: EM BUSCA DA MUDANÇA CULTURAL
A discussão da violência doméstica contra a mulher necessita envolver a questão cultural e a problemática da perenidade do sistema machista, que impacta a visão de mundo de homens e mulheres. Inseridos neste contexto, homens praticam violência contra suas parceiras e mulheres aceitam essa condição. Mas esse peso cultural pode ser motivo para diminuir a responsabilização do homem? Até que ponto o homem é um produto desse ambiente construído por homens e mulheres? Como podemos impactar a sociedade, e, em especial, o homem, para desconstruir essa cultura que ainda acredita da dominação de um gênero pelo outro?
MODERADORA: Patrícia Zaidan, editora da revista Claudia
DEBATEDORES:
Maria Domitila Prado Manssur – Juíza e membro da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário do Estado de São Paulo
Thiago Pierobom – Promotor de Justiça e coordenador do núcleo de gênero do Ministério Público do Distrito Federal
Leila Linhares Barsted – Coordenadora executiva da Cepia – Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação
Sérgio Barbosa – Coordenador do Programa de Responsabilização de Homens Autores de Violência contra a Mulher do Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde

15h – Intervalo

15h20- Debate: A LEI MARIA DA PENHA E OS MECANISMOS LEGAIS PARA ATUAR COM HOMENS AGRESSORES – AVANÇOS E DESAFIOS
A Lei Maria da Penha completou 7 anos e trouxe mudanças significativas para o cenário da violência doméstica no país. No entanto, juristas e organizações são categóricos ao afirmar que ela tem potencial para fazer muito mais, especialmente no em relação aos homens agressores. O que mais ela poderia fazer? O que está faltando para que o Estado seja aparelhado de forma a tornar essa ação com os homens – tanto no sentido da prevenção quanto da repressão – mais efetiva?
MODERADORA: Jacira Melo, diretora do Instituto Patrícia Galvão
DEBATEDORES:
Maria Gabriela Manssur – Promotora de Justiça do Ministério Público de São Paulo
Carlos Zuma – Cofundador e secretário executivo do Instituto Noos
Ana Rita Sousa Prata – Defensora pública integrante do Núcleo Especializado de Promoção dos Direitos da Mulher (NUDEM) da Defensoria Pública de São Paulo
Ana Flávia D’Oliveira – Médica coordenadora do Programa de Saúde da Mulher da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

16h20- Apresentação do vídeo O Caminho, do Instituto Maria da Penha, com homenagem à cearense Kika Pessoa, uma das mulheres que contam sua história pessoal no documentário

16h40 – ENCERRAMENTO

16h50- CONFRATERNIZAÇÃO/ HAPPY HOUR

Por Marisa Sanematsu, com informações do Instituto Avon
Portal Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha

Relacionados: