Juízas do TJRJ orientam PMs que irão atuar na Patrulha Maria da Penha

Policiais militares que vão integrar a Patrulha Maria da Penha foram capacitados nessa semana por magistradas do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). Nesta quinta (1/8), a juíza Adriana Ramos de Mello, do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar da capital, orientou os PMs sobre a aplicação do Formulário de Avaliação de Risco, lançado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para prevenir e enfrentar crimes de violência contra a mulher. Na quarta (31/7) foi a vez da juíza Luciana Fiala, do 5º Juizado, conversar com os agentes.

O formulário dispõe de 25 perguntas de múltipla escolha e contribui para delinear o perfil do agressor, além de traçar contextos e apontar fatores de risco vivenciados pela vítima. As perguntas variam se o companheiro fez ameaças, se já houve agressões e de que forma, se houve ato sexual forçado. Também questiona se a vítima foi impedida de ver ou falar com parentes, de ter acesso à conta bancária; se o agressor faz uso de drogas ou álcool, se já tentou suicídio ou tem acesso a armas de fogo.

No dia 5 de agosto, o TJRJ e a Polícia Militar assinam convênio e lançam a Patrulha Maria da Penha, que vai atender, exclusivamente, casos de violência contra mulher. Ao todo, 40 viaturas vão circular pelas áreas com maior incidência de medidas protetivas para vítimas. Só neste ano, mais de 12 mil casos foram registrados no Rio de Janeiro.

Acesse no site de origem: Juízas do TJRJ orientam PMs que irão atuar na Patrulha Maria da Penha (TJRJ, 01/08/2019)