Justiça de SP desmembra julgamento de acusados de matar Mércia (Folha de S.Paulo – 25/02/2013)

O vigilante Evandro Bezerra da Silva ao ser preso em 2010 (Foto: Robson Ventura)O julgamento dos dois acusados de envolvimento na morte da advogada Mércia Nakashima, encontrada morta no dia 10 de junho de 2010, em uma represa na cidade de Nazaré Paulista (a 64 km de São Paulo), foi desmembrado.

Com isso, apenas o ex-namorado da vítima Mizael Bispo de Souza, será julgado no dia 11 de março. O vigilante Evandro Bezerra da Silva, acusado de ter participado do crime, irá a júri apenas em 29 de julho.

A decisão de separar os dois júris acontece à pedido da defesa de Bezerra, que alegava tese conflitante entre os dois acusados.

No último dia 14, Evandro prestou depoimento ao juiz Leandro Bittencourt Cano e afirmou que foi buscar Mizael na represa onde foi encontrado o corpo de Mércia no dia do crime, mas disse que não pode afirmar com certeza se o ex-namorado da vítima tem envolvimento na morte dela, segundo o advogado José Carlos da Silva, que representava o vigia na ocasião.

Evandro disse ainda que Mizael entrou em contato com ele por um celular usado profissionalmente, e não pelo celular pessoal, apreendido pela polícia. Segundo Evandro, ele afirmou apenas que precisava de uma carona para voltar de uma festa. Ele também destacou que era comum Mizael estar armado, como estava no dia da suposta carona.

O advogado de Evandro deixou a defesa do vigilante na última semana e não foi informado ainda se ele já contratou outro representante.

O advogado de Mizael, Samir Haddad Jr, afirmou hoje que a versão apresentada durante o interrogatório é mentirosa e destacou que “Mizael nunca esteve na represa, nunca ligou para Evandro e nunca entrou no carro dele”. “Sei disso porque o Mizael não matou Mércia”, disse ele.

“O Evandro está tentando salvar a própria pele. Mas eu estou tranquilo, isso não muda a nossa defesa”, acrescentou o advogado de Mizael. Os dois acusados estão presos desde o ano passado.

 CRONOLOGIA DO CASO MÉRCIA

Mércia Nakashima, encontrada morta na represa de SP (Reprodução)23 de maio de 2010
A advogada Mércia Nakashima desaparece após almoçar com a família

10 e 11 de junho
O carro da advogada é encontrado na represa de Nazaré Paulista (64 km de SP) no dia 10 de junho, e seu corpo no dia seguinte

25 de junho
A Justiça de São Paulo decreta a prisão preventiva do vigia Evandro Bezerra Silva, depois de ele não aparecer para prestar depoimento no DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa)

9 de julho
O vigia Evandro Bezerra Silva é preso na cidade de Canindé do São Francisco, em Sergipe

10 de julho
Justiça decreta a prisão temporária de Mizael Bispo de Souza, 40, ex-namorado da advogada Mércia Nakashima, suspeito de ter participado do crime

 14 de julho

Justiça suspende pedido de prisão de Mizael, que não chegou a ser preso

2 de agosto
O Ministério Público oferece denúncia (acusação formal) contra Mizael e Evandro por homicídio qualificado e ocultação de cadáver

3 de agosto
A Justiça de Guarulhos aceita a denúncia e decreta a prisão preventiva dos dois acusados

4 de agosto
O advogado de Mizael Bispo de Souza, Samir Haddad Junior, entra com pedido de habeas corpus. Mizael não se entrega e é considerado foragido

5 de agosto
A desembargadora Angélica de Almeida, da 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça, suspende a prisão preventiva de Mizael

9 de agosto
A 12ª Câmara de Direito Criminal do TJ suspende a prisão preventiva de EvandroCarro de Mércia é retirado da represa em Nazaré Paulista (SP) (Foto: André Vicente)

11 de agosto
Polícia faz a reconstituição de parte do dia em que Mércia Nakahima desapareceu. A polícia refez os passos de Mizael das 11h do dia 23 de maio até por volta de 18h40. Mércia teria sido vista pela última vez por volta de 18h30. Segundo o delegado Antônio de Olim, que coordenou a investigação, a vistoria serviu para reforçar as contradições no depoimento de Mizael

31 de agosto
O Instituto de Criminalística entrega à Polícia Civil e ao Ministério Público o laudo sobre a morte de Mércia. A principal evidência apresentada no documento é uma alga encontrada em um sapato de Mizael, que seria compatível com espécie presente na represa de Nazaré Paulista onde o corpo dela foi encontrado

18 a 21 de outubro
Justiça de Guarulhos ouve 21 testemunhas do caso, além dos dois acusados, durante audiência de instrução

7 de dezembro
Juiz decreta a prisão preventiva de Mizael e Evandro e decide levar os dois acusados a júri popular. Os dois não se entregam e são considerados foragidos

17 de dezembro
Os advogados de defesa de Mizael e Evandro entram com recursos contra o decreto da prisão preventiva no Tribunal de Justiça

27 de dezembro
A desembargadora Angélica de Almeida, da 12ª Câmara Criminal do TJ, nega habeas corpus em favor de Mizael e Evandro

10 de janeiro de 2011
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) nega pedido de habeas corpus feito pela defesa de Mizael

24 de fevereiro de 2012
Mizael se entrega à Justiça após mais de um ano foragido. Advogado diz que pediu prisão domiciliar para ele

21 de março
A 12ª Câmara de Direito Criminal do TJ mantém decisão de levar Mizael e Evandro a júri popular

15 de maio
A 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) nega pedido de habeas corpus a Mizael

23 de junho
Evandro é preso no povoado de Candú, zona rural de Carneiros, sertão de Alagoas

Acesse no site de origem: Justiça de SP desmembra julgamento de acusados de matar Mércia (Folha de S.Paulo – 25/02/2013)