Ladário discute em oficina a Atualização do Protocolo Municipal de Atenção às Vítimas de Violência (Correio de Corumbá – 19/08/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Aconteceu nesta quinta-feira, 18 de agosto, a 1ª Oficina de Atualização do Protocolo Municipal de Atenção às Vítimas de Violência de Ladário. O evento foi realizado na sede da SSCH, e contou com a presença de autoridades civis e militares como o Prefeito José Antonio Assad e Faria, a Secretária de Assistência Social Jane Contu, Secretário de Saúde Cleber Colleone, o delegado da Polícia Civil Fernando Araújo da Cruz, Tenente Araújo da PM e Elaine Fernandes, no ato representando o Núcleo de Assistência Social da Marinha- 6° Distrito Naval.

O objetivo do encontro foi reunir os integrantes da rede de proteção e discutir aspectos referentes ao atendimento às vitimas de violência no âmbito municipal, analisando os fluxos de atendimento, visando atualizar o protocolo municipal de forma a potencializar os atendimentos prestados dentro da Pérola do Pantanal.

Para o chefe do Executivo ladarense, a oficina tem tudo a ver com o momento que o Brasil vem vivendo, se referindo as Olimpíadas 2016, onde em sua maioria, os atletas que subiram no pódio e beliscaram uma medalha para o nosso país, saíram de programas sociais, que tem como um de seus focos, resgatar atletas e pessoas comuns, vítimas de violência, seja ela doméstica, verbal entre outras.

“Vejo aqui em nossa cidade, um trabalho bastante amplo e eficaz, que traz de volta o brilho dessas pessoas, que são vítimas de violência. Temos equipes fortes, que junto com outras instituições, mostram os valores para essas mulheres, crianças e até mesmo homens e idosos, que eles sim, são capazes de seguir em frente. Um desses exemplos é a atleta de judô Larissa, que saiu do Programa Força do Esporte, que acontece em parceria com a Marinha, e é uma das esperanças de medalhas para os próximos jogos. Esse programa, que tanto atende crianças que estão vulneráveis, mas insiste em mostrar o caminho correto. Por isso discutir a violência não é simplesmente apontar o culpado por ela, mas sim, colocar na vida dessas pessoas de que elas são capazes de vencer”, falou José Antonio.

Para o Secretário de Saúde, o encontro é de extrema importância, pois possibilita não apenas a discussão, mas também norteia os trabalhos para a prevenção e também auxilio de quem já foi vítima de violência.

“A integração da rede e a pactuação dos fluxos de atendimento através da discussão dos aspectos referentes ao cuidado, atendimento e acolhimento às vitimas de violência, analisando as novas leis e diretrizes e atualizando o fluxograma e o protocolo de atendimento municipal, nos permitirá reforçar ainda mais as ações referentes à violência”, falou Cleber Colleone.

Já para o delegado Fernando Araújo, a violência pode ser encaixada como psicológica, verbal e física, onde em sua maioria, no município, aproximadamente 50% das investigações estão ligadas a violência doméstica.

“São crimes difíceis de punir, onde na maioria das vezes são imprevisíveis e não deixa vestígios. Porém, em nossa delegacia, apesar de não ser especializada, existe as nossas policiais e investigadoras que são incumbidas a prestar atendimento para essas pessoas, principalmente para mulheres. E esses eventos, contribuem na tentativa de diminuir essa onde de violência em nossa cidade, que por sinal é bem frequente, onde pelo menos uma a cada dia é registrada”, informou Fernando Araújo.

Ladário
Conforme Núcleo de Prevenção a Violência e Agravos Não Transmissíveis de Ladário, de janeiro a julho deste ano, 56 casos de violência foram conformados na cidade.

O número representa 21,37% representa violência física, onde de acordo com os gráficos apresentados, desse total, 36,63%, aconteceram dentro de casa e 6,11% em vias públicas. As mulheres lideram o indicie com 31,54%.

Ainda participaram do encontro, representantes das Secretarias de Saúde, Assistência Social, Educação, da Superintendência de Politicas Públicas para as Mulheres, SEMIPS, Conselho Tutelar, Policia Civil, Policia Militar, Marinha e outras instituições integrantes da rede.

Acesse no site de origem: Ladário discute em oficina a Atualização do Protocolo Municipal de Atenção às Vítimas de Violência (Correio de Corumbá – 19/08/2016)