Levantamento aponta aumento de 28,4% nos casos de violência sexual em Palmas (G1 – 16/01/2018)

Foram 253 novos casos registrados pelo serviço de saúde que atende vítimas no Hospital Dona Regina. Demora das pessoas em buscar atendimento pode comprometer prevenção de doenças.

Dados do Serviço de Atendimento a Vítimas de Violência Sexual (Savis) no Hospital Dona Regina, em Palmas, mostram que houve um aumento de 28,4% nos casos de abusos sexuais entre 2016 e 2017. Conforme a coordenadora do serviço, Zelma Moreira da Penha, o aumento é reflexo do estímulo à denúncia, mas a demora das vítimas em buscar atendimento compromete a eficácia do atendimento.

O levantamento divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde mostra que em 2016 ocorreram 958 atendimentos no Dona Regina, sendo 761 acompanhamentos e 197 novos casos. Em 2017, o número saltou para 1.213 atendimentos, sendo 253 novos casos.

“Ainda é um número muito pequeno. A quantidade de registros de Boletim de Ocorrência feita pela polícia ainda é bem maior do que o número de pessoas que procuraram o serviço. Sendo que a prioridade é o atendimento a vítima”, disse a coordenadora do Savis.

Os dados mostram ainda que as vítimas de abusos sexuais não pertencem a uma classe social definida, mas a maioria tem entre 10 e 19 anos. Só que muitas pessoas deixam de procurar o atendimento ou demoram buscar ajuda por medo e vergonha.

“Por isso é importante divulgar essas informações também nas escolas para incentivar as crianças a falarem com alguém em quem confiam. O quanto antes procurar o serviço é melhor para evitar doenças sexualmente transmissíveis e até uma gravidez”.

Dos 253 novos atendimentos feitos em 2017, somente 28 pessoas tomaram a profilaxia, que é uma forma de prevenção da infecção de doenças sexualmente transmissíveis. A medicação deve ser tomada em até 72h depois do estupro. Depois desse prazo, a pessoa está mais vulnerável.

As vítimas também tem o direito de receber a pílula de emergência para prevenir uma gravidez. Esse medicamento deve ser tomado até cinco dias após o abuso. “Por isso, a extrema importância de procurar atendimento o mais rápido possível, quanto mais cedo, maior a eficácia do medicamento tanto para prevenção de DST quanto para evitar a gestação.”

“É importante não tomar banho para preservar os vestígios do abuso. Pode vir tranquila. Não precisa de vergonha, de medo porque a equipe atende com muito carinho, muito respeito e o serviço está disponível 24 horas”, explicou.

Acesse no site de origem: Levantamento aponta aumento de 28,4% nos casos de violência sexual em Palmas (G1 – 16/01/2018)