‘Maníaco de Guarulhos’ é condenado a 111 anos por matar quatro mulheres (G1/São Paulo – 23/04/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Leandro Rodrigues negou crimes durante julgamento na Grande São Paulo. Em 2012, ele havia sido condenado a 25 anos por asfixiar e estuprar garota

Leandro Basílio Rodrigues, conhecido como o ‘Maníaco de Guarulhos’, foi condenado a mais de 111 anos de prisão por matar quatro mulheres para fazer sexo com os corpos delas entre os anos de 2007 e 2008. O julgamento ocorreu na última sexta-feira (17), no Fórum de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo.

Em 2012, Leandro já havia sido condenado a 25 anos de prisão pelos mesmos crimes de assassinato e vilipêndio de cadáver, mas só contra uma outra mulher.

Pela lei brasileira, um condenado não pode ficar mais de 30 anos preso.

Leandro está detido desde 2008, quando tinha 19 anos de idade. Naquela ocasião, ele ficou conhecido na imprensa como ‘Maníaco de Guarulhos’ por ter confessado que matou e estuprou 50 mulheres, crimes estes que não foram todos comprovados.

De acordo com o Ministério Público (MP), Leandro pode ter feito nove vítimas, todas mulheres, no total: cinco em Guarulhos, duas no Rio e, quando ainda era menor de 18 anos, outras duas em Belo Horizonte. Ele ainda responde por mais 13 crimes, como tráfico de drogas, roubos e estupros.

Na semana passada, Leandro foi considerado culpado pelo júri popular pelos assassinatos de quatro mulheres: Keiliane Leite da Silva (no dia 7 de setembro de 2007), Viviane da Silva Correa (em 30 de setembro de 2007, Juliana Teixeira do Nascimento (entre 29 e 30 de maio de 2008) e Aline Sena da Rocha (26 de agosto 2008).

De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público, Leandro ainda teve relações sexuais com os cadáveres das vítimas após mata-las.

Segundo o promotor Rodrigo Merli Antunes, ele atraía as mulheres oferecendo droga a elas, depois as levava a um local ermo, onde as espancava e asfixiava. Em seguida, despia os corpos para fazer sexo com eles. “Nos anos de 2007 e 2008 ele matou e vilipendiou o cadáver de quatro jovens, todas mulheres”, argumentou Merli.

“Leandro é portador de personalidade violenta e antissocial, tendo cometido uma série de homicídios com alto grau de repulsividade, tudo a indicar ser um verdadeiro necrófilo e serial killer”, escreveu o promotor na denúncia. “O agente é um assassino em série e nutre pelas mulheres um sentimento de vingança”.
A sentença condenatória de Leandro foi dada pela juíza Maria Gabriela Riscali Tojeira. Ela deu a ele 106 anos de prisão pelos assassinatos das quatro mulheres e mais 5 anos e seis meses de reclusão por violentar sexualmente os cadáveres. O réu, que antes do julgamento chegou a confessar os crimes (indicando nomes das vítimas, datas e locais), negou os assassinatos durante o júri.

Como está preso preventivamente, a espera de outros julgamentos por crimes que cometeu, ele não poderá recorrer da sentença em liberdade.

Em 2012, ele foi condenado a 18 anos de prisão pelo assassinato de Gisele Cabral de Souza, e mais 7 anos de reclusão por ter feito sexo com o corpo dela em agosto de 2008. Gisele foi a última vítima de Leandro. Ela foi atacada no estacionamento de um estádio esportivo. Acabou asfixiada até morrer.
O G1 não localizou o advogado de Leandro para comentar o assunto. O condenado estava preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Sorocaba, no interior de São Paulo.

Acesse no site de origem: ‘Maníaco de Guarulhos’ é condenado a 111 anos por matar quatro mulheres (G1/São Paulo – 23/04/2015)