Maternidade é referência na assistência a vítimas de violência sexual em Sergipe (Gov/SE – 26/11/2013)

Maternidade oferece apoio psicossocial a vítimas de violência (Foto: Ascom/SES)

Maternidade oferece apoio psicossocial a vítimas de violência (Foto: Ascom/SES)

Acolher os pacientes de vítimas de violência sexual e garantir o atendimento para que o vitimado supere o problema da melhor forma possível. Essas também têm sido metas da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), gerida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) através da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). Desde 2007, a Maternidade realiza um trabalho assistencial às crianças, adolescentes e adultos, vítimas de violência sexual, oferecendo assistência clínica, realizando exames e tratamento e oferecendo apoio psicológico de forma contínua.

De janeiro a outubro deste ano, a equipe multidisciplinar do serviço de apoio às vítimas de violência sexual da MNSL contabilizou 329 atendimentos. Destes, 50 foram de adultos e 279 para crianças e adolescentes. A médica especialista em ginecologia e obstetrícia do serviço de combate à violência sexual, Janua Almeida, lembra que o serviço funciona 24 horas, sete dias por semana.

“Ao paciente, que chega à unidade, são ofertadas assistência clínica, realização de exames e tratamento, além de orientação social ao paciente e familiares”, pontua a Dra. Janua Almeida.

A médica explica, ainda, como acontece os atendimentos.“ Nos casos de violência aguda, ou seja, até 72 horas após o ato, realizamos a profilaxia para evitar gravidez indesejada e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), a exemplo da AIDS, Sífilis, Gonorréia, Hepatite B, entre outras, além dos exames laboratoriais. As vítimas que sofreram abusos em outros momentos podem procurar a MNSL para buscar apoio psicológico e realizar exames e tratamentos relacionados às DST”, esclarece.

A psicóloga Karen Venâncio lembra da importância do acompanhamento psicológico. “O apoio psicológico é muito importante para a recuperação da vítima. Por isso, priorizamos o atendimento sempre que necessário de forma contínua para que a vítima se recupere de forma efetiva”, pontua.

A psicóloga ressalta, ainda, que “nos casos de violência sexual comprovados, ou suspeitos, é realizado um cuidado integral à saúde, de forma sigilosa, feito pela equipe multidisciplinar da unidade, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes socais.”

O superintendente da MNSL, Luís Eduardo Correia, lembra que mesmo antes procurar as delegacias, os pacientes podem procurar atendimento na MNSL.

“O importante é que o serviço tem escala de plantão completa, onde o paciente terá acompanhamento psicológico, ginecológico e social, a profilaxia de DST, profilaxia de gravidez (casos de violência sexual). Em casos de gravidez, inclusive, somos referência no estado de Sergipe para interrupção destes casos autorizados judicialmente”, afirma o superintendente.

Acesse no site de origem: Maternidade é referência na assistência a vítimas de violência sexual (Gov/SE – 26/11/2013)