Medidas protetivas na Lei Maria da Penha aumentam (Jornal de Uberaba – 09/03/2013)

O número de flagrantes e medidas protetivas em casos que se enquadram na Lei Maria da Penha aumentaram em 2012 em Uberaba, segundo dados da Polícia Civil. Uma das justificativas desse crescimento foi uma decisão do Superior Tribunal Federal (STF), em fevereiro do ano passado, que consiste na prisão do suspeito independente de a vítima representar contra ele.

Outro motivo, de acordo com a Polícia Civil, é a efetividade da lei, seja com a prisão dos autores ou com a aplicação de medidas cautelares. Ainda segundo a polícia, entre as principais causas das agressões estão questões emocionais, como não aceitar o fim do relacionamento, seguido pelo uso de bebida alcoólica.

De janeiro a maio de 2012, a Delegacia de Orientação e Proteção à Família encaminhou 245 casos à Justiça. Segundo a Polícia Civil, os números de ocorrências podem ser ainda maiores, pois, nem todas as vítimas registram boletim de ocorrência ou pedem providências sobre o caso, como medidas protetivas, sendo que, em 2012, foram 184 pedidos, contra 143 no ano passado.

A delegada Ludmila afirmou que a maior parte dos casos de violência contra a mulher em Uberaba se deve a questões emocionais. Ela explicou que homens que não aceitam o fim do relacionamento e motivados pelo ciúme partem para as agressões. Em segundo lugar, aparecem as drogas e o uso excessivo de bebida alcoólica.

Sandro Neves

Acesse no site de origem: Medidas protetivas na Lei Maria da Penha aumentam (Jornal de Uberaba – 09/03/2013)