Ministério Público do RS pede investigação de caso de estupro de uma deficiente mental (Folha do Sul – 13/06/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A promotoria criminal do Ministério Público encaminhou à Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento, uma denúncia-crime de um caso de estupro de uma deficiente mental e também da mãe da jovem. O fato teria ocorrido em um assentamento em Hulha Negra.

O caso aconteceu primeiro com a mãe, uma mulher de 36 anos. Ela teria relatado para a promotoria que foi abusada sexualmente por seu irmão de 45 anos, desde os 5 anos de idade. Fruto destes abusos, nasceu a filha de 23 anos, que é deficiente mental, além de ter a doença de Gaucher (uma doença que afeta diversos órgãos, pois tem uma produção acelerada de lipídios). A jovem estaria vivendo maritalmente com o acusado (seu pai) sob a guarda da avó.

Na época, segundo a vítima, ela teria concedido a guarda da filha para sua mãe, pois queria acobertar a situação porque era jovem e solteira. Na época, estaria grávida de seu irmão, pois teria sido estuprada. Segundo o documento, ela procurou ajuda do Ministério Público para reaver a guarda da filha e para que seja investigado o caso.

A investigação ficará a cargo do Cartório da Criança e Adolescente Vítima (CCAV) da Segunda Delegacia de Polícia Civil.

Acesse no site de origem: Ministério Público do RS pede investigação de caso de estupro de uma deficiente mental (Folha do Sul – 13/06/2016)