Ministério Público recebe, por dia, 60 processos em favor da mulher (O Estado do Maranhão – 14/08/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Dados são relativos apenas a São Luís; a Cidade Operária é atualmente o bairro que mais apresenta esse tipo de demanda, segundo o Ministério Público

Sob a garantia da Lei Maria da Penha (que completou 9 anos este mês), o Ministério Público do Maranhão (MP) informou que, em média, são recebidos 60 processos por dia pela Promotoria Especializada da Mulher e relativos a medidas protetivas ao público do sexo feminino. Ainda segundo o MP, com base em dados obtidos por meio da Vara da Violência Doméstica, o bairro da Cidade Operária é o que apresenta o maior número de casos na cidade sobre o tema.

Ainda de acordo com a Promotoria Especializada da Mulher do MPMA, no momento, tramitam na Justiça pouco mais de 5 mil processos, cujas causas estão relacionadas a agressões físicas e verbais contra a mulher. Apesar da média diária de processos recebidos sobre medidas protetivas em favor das pessoas do sexo feminino, segundo uma das promotoras especializadas da Mulher do MPMA, Selma Regina Souza, em alguns períodos do ano, o número de processos diários relativos ao tema e recebidos pelo MP chega a 120.

Isso mostra que a população está confiando mais no Poder Judiciário , disse a promotora.

Ela informou que, além da Cidade Operária, os bairros do Centro e da área Itaqui-Bacanga registram grande número de casos de agressões físicas e verbais às mulheres. No entanto, é preciso ressaltar que a questão da agressão contra a mulher, independentemente do tipo [seja física ou verbal] não está ligada apenas a fatores socioeconômicos. Em áreas consideradas mais nobres, há também casos sobre o tema , frisou.

Ainda segundo ela, tratando em específico sobre os casos de agressões verbais cujas vítimas foram mulheres, houve um aumento no número de processos motivados por supostas calúnias, injúrias e difamações. Antes, a mulher somente procurava a Justiça nos casos de agressão física. Isso também não existe mais, até porque, em muitos casos, a agressão verbal, dependendo do contexto em que foi registrada, traz mais danos do que o físico , disse a promotora.

Segundo dados da Delegacia Especializada da Mulher, e com base em relatório mais recente divulgado, há uma média de 15 denúncias por dia registradas pela Polícia Civil relativas, na capital maranhense, a agressões sofridas por pessoas do sexo feminino. Ainda de acordo com a Polícia Civil, quem quiser denunciar algum tipo de agressão, pode ligar para o (98) 3214-8650 ou (98) 3221-2338, telefones da Delegacia da Mulher (localizada na avenida Beira-Mar, sem número, Centro).

UM CASO

No dia 20 de junho deste ano , uma mulher – que se identificou à polícia apenas como Vilma – teve a face lesionada por seu companheiro ,que, de acordo com a polícia, foi identificado como Marcos Romel Costa Silva. De acordo com o boletim de ocorrência registrado à época no Plantão da Cidade Operária, o caso aconteceu na residência do casal, na Cidade Olímpica. Até o fechamento desta página, ainda não havia informação se o suposto autor da agressão havia sido preso.

SAIBA MAIS

Conforme dados da Delegacia Especializada da Mulher, e com base em relatório mais recente divulgado, há uma média de 15 denúncias por dia registradas pela Polícia Civil relativas, na capital maranhense, a agressões sofridas por pessoas do sexo feminino. Ainda de acordo com a Polícia Civil, quem quiser denunciar algum tipo de agressão, pode ligar para o (98) 3214-8650 ou (98) 3221-2338, telefones da Delegacia da Mulher (Avenida Beira-Mar, s/n, Centro).