Ministra interina fala sobre tráfico de mulheres em evento do Ministério da Justiça (SPM – 30/07/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O Ministério da Justiça promoveu nesta quinta-feira (30/07) solenidade de homenagem ao Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. No mesmo evento, os Correios lançaram o selo alusivo à data. A ministra interina da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR), Aparecida Gonçalves, participou da solenidade que integra a Semana de Mobilização contra o Tráfico de Pessoas. Com o slogan “Para o sonho não vire armadilha”,  a Semana conta com eventos de conscientização em todo o país, estimulando as denúncias e a reflexão.

De acordo com Aparecida Gonçalves, a SPM tem como desafio identificar as vítimas do tráfico e tirá-las da “invisibilidade”. Para isso, a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 é fundamental. O serviço foi ampliado este ano e atende denúncias de 16 países além do Brasil. “Queremos chegar a 27 países no ano que vem”, antecipou a ministra interina.  Ela também citou os Centros de Fronteira Seca, eixo do Programa Mulher, Viver sem Violência, que atuam para conter o tráfico de mulheres nas fronteiras.

Aparecida Gonçalves destacou, ainda, a importância de campanhas como a “Coração Azul”, lançada em 2013 pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes e a criação do selo alusivo ao Dia de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e reafirmou o compromisso do Governo Federal com a tolerância zero com a violência. “Estamos trabalhando para que nenhuma mulher sofra exploração sexual e tortura fora ou dentro do país, através do tráfico interno”, finalizou.

O secretário nacional de Justiça do Ministério da Justiça (MJ), Beto Vasconcelos, apresentou o Relatório Nacional sobre o Tráfico de Pessoas, que reuniu dados de 2013 das mais diversas fontes: Ligue 180, Disque 100, Polícia Federal, entre outras.  Segundo Beto Vasconcelos, o crime é o terceiro mais lucrativo no mundo, perdendo apenas para o tráfico de drogas e de armas.

Participaram da solenidade, também, os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo; da Secretaria de Direitos Humanos, Pepe Vargas; do Gabinete de Segurança Institucional, General José Elito Siqueira; e o secretário do Escritório da ONU sobre Drogas e Crimes, Rafael Franzini.

Selo de alerta

O selo apresentado pelo ministro da Justiça e pelo vice-presidente jurídico dos Correios, Cléucio Nunes, teve seu tema definido pela União Postal das Américas, Espanha e Portugal (Upaep), com o objetivo de alertar a sociedade sobre o problema do tráfico de pessoas. A arte do selo, feita pelo artista gráfico Daniel Effi, apresenta mãos atadas por correntes, que se desfazem, significando a libertação das vítimas do tráfico humano. O coração azul simboliza o enfrentamento ao tráfico e a defesa das pessoas atingidas, e os pássaros voando representam a esperança, a liberdade e os anseios de justiça e combate a esse tipo de crime. O selo tem tiragem de 900 mil peças.

Comunicação Social

Acesse no site de origem: Ministra interina fala sobre tráfico de mulheres em evento do Ministério da Justiça (SPM – 30/07/2015)