Mortes de mulheres em Goiânia seguem sem solução 8 meses após 1º caso (Folha de S. Paulo – 19/08/2014)

Oito meses após a morte de Bárbara, 14, a primeira das 15 jovens mortas em circunstâncias semelhantes neste ano em Goiânia, nenhum crime foi esclarecido pela Polícia Civil.

Os assassinatos, cometidos por um homem de moto e que em geral nada roubou, levaram pânico à capital goiana.

Familiares das mulheres assassinadas reclamam não apenas da demora na solução dos crimes, mas também da falta de apoio psicológico prometido pelo governo.

O governo, em nota, diz que os crimes estão sob investigação, mas que homicídios “são sempre complexos e exigem tempo e equipes numerosas”.

Sobre o apoio psicológico, a pasta diz ter localizado 14 famílias e feito o “primeiro atendimento” de dez.

Após essa etapa, segue a nota, quatro famílias desistiram, principalmente por dificuldades de deslocamento.

Acesse o PDF: Mortes de mulheres em Goiânia seguem sem solução 8 meses após 1º caso (Folha de S. Paulo – 19/08/2014)