MS está entre estados que serão visitados por comissão da Mulher (Correio do Estado – 17/03/2019)

A deputada federal Rose Modesto está entre as integrantes

Mato Grosso do Sul está entre os estados que deverão ser visitados pela recém criada Comissão Externa da Violência Contra a Mulher na Câmara dos Deputados. Isto porque o estado é um dos maiores em número de casos de violência contra a mulher. Do início do ano até agora, dez mulheres foram assassinadas no Estado, vítimas dos ex-companheiros.

Dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública apontam que, entre o 1º dia de janeiro até às 16h deste domingo (17), foram registrados 344 boletins de ocorrência sobre violência doméstica em Campo Grande e outros 875 nas cidades do interior. A maioria deles, têm as mulheres como vítimas.

Uma destas vítimas é a vendedora Edinalva Ferreira Melgaço, de 34 anos, que foi assassinada de forma cruel pelo marido, o  pedreiro José Cláudio Neres de Melo, de 39 anos, na madrugada deste domingo, no centro de Costa Rica.

Outro caso que causou comoção foi da professora Nadia Sol Neves Rondon, de 38 anos, morta com mais de 30 facadas pelo ex-marido Edevaldo Costa, na casa onde morava, no bairro Universitário, em Corumbá. O crime aconteceu no dia 10 de março. Ela deixou duas filhas, uma de 15 e outra de 9 anos.

A COMISSÃO

Durante o velório da professora, a deputada federal Rose Modesto (PSDB) conversou com a reportagem do Correio do Estado e disse que também vai integrar a Comissão Externa da Violência Contra a Mulher.

“A diferença dessa comissão é que ela vai atuar e trabalhar in loco. Então, onde tiver um caso de feminicídio ou de violência doméstica que não tiver respostas ou que a lei não tiver sendo cumprida nós vamos lá cobrar”, declarou. Rose disse ainda que o caso da Nádia será acompanhado de perto.

A criação da comissão, cujo objetivo é acompanhar os casos de violência in loco e os crimes de feminicídio no país, foi formalizada no dia 8 de março pelo presidente da Câmara, o deputado federal Rodrigo Maia. A ideia é verificar se o estado ou município oferecem apoio necessário às mulheres que sofrem algum tipo de violência. Juizados especiais, delegacias especializadas, centros de referência, serviços de saúde e casas de abrigo entram neste pacote.

Também integram a comissão as deputadas Margarete Coelho (PP-PI); Leandre (PV-PR); Áurea Carolina (PSOL-MG); Sâmia Bomfim (Psol-SP); e Flávia Arruda (PR-DF), que será a coordenadora do colegiado. Em entrevista à assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados, Flávia Arruda comentou que o grupo deve visitar, além de Mato Grosso do Sul, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, além do Distrito Federal. Ainda não há data para que estas visitas ocorram.

Maressa Mendonça; Colaborou Renan Nucci